Professoras de escolinhas infantis conveniadas à prefeitura de Caxias entram em greve na segunda-feira - Geral - Pioneiro

Educação22/11/2017 | 21h13Atualizada em 23/11/2017 | 08h13

Professoras de escolinhas infantis conveniadas à prefeitura de Caxias entram em greve na segunda-feira

Decisão saiu de reunião da categoria no plenarinho da Câmara de Vereadores

Professoras de escolinhas infantis conveniadas à prefeitura de Caxias entram em greve na segunda-feira Kamila Mendes / Agência RBS/Agência RBS
Docentes querem garantias de recontratação em 2018 Foto: Kamila Mendes / Agência RBS / Agência RBS
Pioneiro
Pioneiro

Em votação unânime e com plenarinho da Câmara de Vereadores lotado, na noite desta quarta-feira, as professoras de escolas de Educação Infantil de Caxias do Sul decidiram entrar em greve. A paralisação começa a partir da segunda-feira que vem. A medida foi motivada pelo anúncio de redução salarial feito pela prefeitura e pela não garantia da manutenção dos contratos. 

De acordo com o presidente do Sindicato dos Empregados em Entidades, Culturais, Recreativas, de Assistência Social, de Orientação e Formação Profissional (Senalba), Alceu Adelar Hoffmann, o restante da semana será para fazer os comunicados oficiais. Nesta quinta-feira, as crianças já levarão anotações nas agendas. Serão avisados para que os pais não mandem os filhos para as escolas na segunda-feira. 

 Leia mais:
FAS planeja fechar abrigo para crianças e adolescentes em Caxias do Sul
Drones vão reforçar fiscalização nas rodovias federais da Serra 

Ainda segundo Hoffmann, para a manhã de segunda, está programada uma concentração em frente à Secretaria de Educação do Município (Smed) às 7h30min. A categoria formará uma comissão e tentará audiência com a secretária. Na sequência, o grupo deve deslocar até a prefeitura, onde também tentará audiência com o prefeito Daniel Guerra. Depois, os manifestantes irão para o Centro para colher assinaturas da população em apoio ao movimento. O sindicato também fará nova votação entre os participantes para decidir os rumos da greve.

À tarde, as professoras estarão nas escolas, mas em estado de vigília, executando atividades internas.

— Vamos avisar e pedir a compreensão dos pais para que não mandem os filhos porque nenhuma criança será atendida nas escolas — reforçou o dirigente. 

Conforme nota divulgada pelo Senalba, as profissionais querem a garantia de recontratação, já que todas devem ser demitidas em função do encerramento dos contratos atuais. 

Na manhã desta quarta-feira, um grupo de aproximadamente 50 professoras e coordenadoras de escolinhas conveniadas com o município estiveram presentes, novamente, na Câmara de Vereadores, depois do protesto realizado na terça-feira. Em uma reunião marcada para às 7h, a secretária de Educação, Marina Mattielo, e o procurador-geral do município, Leonardo da Rocha de Souza, prestaram esclarecimentos sobre o novo processo de credenciamento das escolinhas para o próximo ano letivo.

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros