Polícia Civil pretende concluir até segunda inquérito que investiga mulher e bebê queimadas em Caxias do Sul - Geral - Pioneiro

Crime09/11/2017 | 15h21Atualizada em 09/11/2017 | 15h21

Polícia Civil pretende concluir até segunda inquérito que investiga mulher e bebê queimadas em Caxias do Sul

Mulher segue internada na UTI do Hospital Geral

Polícia Civil pretende concluir até segunda inquérito que investiga mulher e bebê queimadas em Caxias do Sul André Fiedler/Agência RBS
O suspeito teria jogado álcool nas duas e ateado fogo em seguida Foto: André Fiedler / Agência RBS
Pioneiro e Gaúcha Serra

A delegada substituta da Delegacia de Atendimento à Mulher de Caxias do Sul, Thais Postiglione, pretende concluir até a próxima segunda-feira o inquérito que investiga a morte de Isabella Theodoro Martins, oito meses. A menina morreu na última segunda-feira após ter sido queimada na madrugada de sábado  ao lado da tia, Lucilene Fonseca, 32 anos, que segue internada em estado grave. O principal suspeito é o ex-companheiro da mulher, Maykon Marcelino da Silva, 31 anos.

De acordo com Thais, falta ouvir apenas o irmão do suspeito. Nesta quarta, prestaram depoimento um casal que ajudou a socorrer as vítimas e outra vizinha, além de um homem que trabalha nas proximidades.

—  Todos confirmaram que foi o Maykon. Já há elementos suficientes. Os vizinhos viram ele como se estivesse empurrando a mulher na porta e também pegando fogo — explica.

Segundo a delegada, uma das testemunhas tentou correr atrás de Silva após o suspeito pular um muro, mas não conseguiu alcançá-lo porque ele se escondeu em uma vegetação. Os investigadores não pretendem ouvir os três filhos do casal, que estavam na casa, porque eles são muito pequenos e estão traumatizados com a situação.

O inquérito deve indiciar Maykon por homicídio qualificado e tentativa de feminicídio, quando a mulher sofre violência por questões de gênero.

O estado de saúde da mulher em Caxias do Sul segue grave, segundo boletim emitido no fim da manhã desta quinta-feira pelo Hospital Geral. Ela segue internada na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) desde a madrugada do domingo, quando o ex-companheiro teria jogado álcool nela e na sobrinha de oito meses.

Leia mais:
Morre bebê queimada por ex-companheiro da madrinha em Caxias
Homem ateia fogo em bebê e a ex-companheira em Caxias do Sul
Em novo depoimento, suspeito de atear fogo a bebê em Caxias permanece calado

Silva segue recolhido no Presídio Regional de Caxias. Ele silenciou nos dois depoimentos prestados à Polícia Civil nesta semana. 

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros