O legado de Maria Luiza na educação - Geral - Pioneiro

Ensino17/11/2017 | 11h13Atualizada em 17/11/2017 | 11h13

O legado de Maria Luiza na educação

Maria aposentou-se em 1939 como diretora de duas escolas, recebendo homenagem especial no Clube Juvenil

O legado de Maria Luiza na educação  Estúdio Líder/Divulgação
Interior do primeiro Grupo Escolar Maria Luiza Rosa, no início da década de 1960 Foto: Estúdio Líder / Divulgação

Maria Luiza Rosa Cruz nasceu em dia 31 de janeiro de 1883, na Vila São João de Montenegro, onde iniciou e concluiu seus estudos. Veio para Caxias do Sul e em novembro de 1903 foi nomeada para exercer o magistério na 12ª escola, na localidade de Santa Lúcia da Nona Légua. Em 1927,  assumia a direção do Colégio Elementar José Bonifácio. Em março de 1935, foi nomeada também para o cargo de diretora do Colégio Complementar, ficando assim com duas direções. Atualmente, o Complementar é conhecido como o Instituto de Educação Cristovão de Mendoza. 

O legado de Maria na educação
Foto: Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami / Divulgação

Maria aposentou-se em 1939 como diretora de duas escolas, recebendo homenagem especial no Clube Juvenil, conforme notícia do jornal A Época, de 21 de maio daquele ano. Faleceu em 9 de agosto de 1961, conforme registros nos livros de óbitos do Cemitério Público Municipal, acervo que pertence ao Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami.  Em 8 de abril de 1961, foi fundada as Escolas Reunidas da Avenida São Leopoldo. O casarão construído por volta de 1955 foi vendido para dar lugar à instituição de ensino. Em 8 de janeiro de 1964, a então Escola da Avenida São Leopoldo recebia o nome de Grupo Escolar Professora Maria Luiza Rosa, em homenagem à pedagoga.

A primeira escola tinha duas salas de aulas. No porão, ficava a cozinha, onde os alunos iam na hora do recreio para comer a merenda. Ao lado do colégio passava o Arroio Pinhal, e nas margens seguidamente tinham restos da produção vinícola, como bagaços de uva, despejados no rio pela vinícola. Uma das diversões dos alunos no recreio era brincar no arroio.

Segunda escola

A escola mudou de prédio ainda em 1966, mas na casa velha permaneceu uma turma primária e a secretaria. Romeu Guterrez dos Santos, aluno na época, lembra que a diretora era Nilza Paschoal. Osmar de Oliveira conta que o pai, João Francisco de Oliveira, natural de Araranguá (SC), veio para Caxias do Sul por volta de 1955. Aqui, construiu um casarão de três andares na Rua Carlos Mauri, no bairro São Leopoldo, para morar com a família.  Os dois andares de baixo, entretanto, cedeu à escola, que precisava de um espaço maior. Assim, São Leopoldo contava com duas escolas. O casarão de Francisco de Oliveira (foto) incendiou no dia 2 de janeiro de 2016.

Terceira escola

O legado de Maria na educação
Casa de Francisco de Oliveira, construído em 1960, deu lugar à uma filial da escolaFoto: Gilmar Lorenzi / Divulgação

A terceira escola foi inaugurada em 4 de outubro de 1970, na Rua Emanuel Boniatti, em terras doadas por Olinto Parmeggiani. O prédio somente foi conseguido graças aos esforços da comunidade, da diretora da escola, do prefeito, do delegado de Educação e da Câmara Júnior.  Em 17 de maio de 1979, o então Grupo Escolar Professora Maria Luiza Rosa autorizou o funcionamento do ensino de 1º grau, a partir de 1979, passando a chamar-se Escola Estadual de 1º Grau Incompleto Professora Maria Luiza Rosa. Em 15 de dezembro de 2000, através da Portaria de Alteração e Designação, passou a chamar-se Escola Estadual de Ensino Fundamental Professora Maria Luiza Rosa.  Em setembro de 2010, a instituição foi a primeira na cidade a participar de um projeto que prevê o aprendizado tradicional com o auxílio de computadores, denominado Escola Digital. 

As informações são uma colaboração do pesquisador Gilmar Lorenzi.

Confira outras publicações da coluna Memória

Leia antigos conteúdos do blog Memória 

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros