Moradores reclamam de demora para retorno de abastecimento de água na região nordeste de Caxias - Geral - Pioneiro

Abastecimento03/11/2017 | 17h40Atualizada em 03/11/2017 | 17h40

Moradores reclamam de demora para retorno de abastecimento de água na região nordeste de Caxias

Desde terça-feira, residências na região de Ana Rech registram falta de água

Pioneiro
Pioneiro

Em menos de 15 dias, a região Nordeste de Caxias foi afetada por duas interrupções no abastecimento de água. Entre 18 e 31 de outubro, o Samae realizou duas intervenções em adutoras que compõem o sistema da região, o que causou intermitência do serviço para moradores de bairros como Serrano, Ana Rech, Solar do Prado, Jardim Eldorado, Jardim Iracema, Capivari, Mariland e Jardim das Hortênsias. 

Leia mais:
Posto da BM na Rota do Sol está orçado em R$ 1 milhão
Vereadores cobram a falta de respostas a pedidos à prefeitura de Caxias do Sul

Apesar da falta de água temporária afetar a rotina das comunidades, para algumas residências, o pior é a demora da retomada do abastecimento. Desde a mais recente interrupção, na última terça-feira, até sexta, alguns locais ainda não estavam com o serviço normalizado.

De acordo com o morador do bairro Solar do Prado, comunidade que fica próxima à Ana Rech, o técnico em robótica Matheus Rodrigo Ramisch, entre as duas manutenções realizadas no mês já somam oito dias que sua casa ficou sem água:

— Desde terça até agora (a tarde de sexta), estamos sem água. Na última vez foi o mesmo. Ligamos para o Samae e cada vez é uma desculpa diferente e sempre afirmam que o abastecimento está prestes a voltar — relata.

Segundo Ramisch, em decorrência da falta de água, a rotina dele, da esposa e da filha de nove anos precisou ser alterada.

 — Precisamos comprar comidas semiprontas e água mineral toda hora, porque quando o abastecimento volta, a qualidade da água é péssima — complementa.

Em vídeo encaminhado ao Pioneiro, Ramisch registra o enchimento de uma garrafinha com água de uma das torneiras de sua casa. As imagens demonstram o líquido com coloração turva, imprópria para o consumo.

Outro morador do mesmo bairro, que contatou o Pioneiro nesta semana, reforça as reclamações. Para Felipe Forner de Souza, a principal insatisfação é com a falta de esclarecimentos por parte do Samae:

— Não temos caixa d'água que abasteça nosso bairro, que, além de tudo, por ficar em uma região mais alta é sempre o último a ter o abastecimento retomado. Aí ligamos para eles (o Samae) e nos informam que não há muito o que fazer. Se eles não sabem como proceder, imagine nós, os moradores — protesta.

Samae não identifica problema

A reportagem contatou a assessoria do Samae que informou que três equipes da autarquia foram designadas para identificar o problema que afetou a região. Até às 17h de sexta, os técnicos não haviam descoberto a causa da falta de água e nem quantos bairros estariam prejudicados. 

Sobre a coloração escura que saía de algumas torneiras, a assessoria informou ser comum ocorrer situações semelhantes logo após a retomada do abastecimento depois de períodos de interrupção.

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros