Memória: Osmar Meletti na história de Caxias do Sul - Geral - Pioneiro

Personalidade07/11/2017 | 01h00Atualizada em 08/11/2017 | 15h08

Memória: Osmar Meletti na história de Caxias do Sul

Admirado pelo seu engajamento, competência e entusiasmo na profissão, Meletti comandava o Discorama, que promovia diversas manifestações artísticas

Memória: Osmar Meletti na história de Caxias do Sul Jornal Pioneiro/Reprodução
Aida Meletti e Armindo Ranzolin descerram uma placa de bronze à Meletti Foto: Jornal Pioneiro / Reprodução

Nascido em 5 de julho de 1932, Osmar Meletti consagrou-se como um dos melhores sonoplastas da radiodifusão do Rio Grande do Sul.  O caxiense iniciou sua carreira divulgando festas e novenas da Paróquia de São Pelegrino e fazendo a sonorização na igreja. Após mudar para Porto Alegre, em 1946, trabalhou nas rádios Farroupilha, Difusora, Gaúcha e Progresso. Em 12 abril de 1957, ingressou na rádio Guaíba, tornando-se um dos fundadores da emissora.

Admirado pelo seu engajamento, competência e entusiasmo na profissão, Meletti comandava o Discorama, que promovia diversas manifestações artísticas. Em 1977, o programa ganhou o primeiro lugar do Prêmio ARI de Jornalismo pela produção de uma homenagem ao escritor gaúcho Érico Verissimo. 

Como reconhecimento por seu trabalho, os vereadores Mário Gardelin e Ovídio Deitos solicitaram uma homenagem póstuma ao radialista. Em janeiro de 1983, em frente à igreja São Pelegrino, onde foi criado e inserido na vida religiosa, foi descerrada um placa de bronze em sua homenagem.

Coroinha

Osmar Meletti na história de Caxias
Meletti esteve presente no batismo de Vitor Dal PosFoto: Acervo pessoal / Divulgação

No início da sua vida religiosa, Osmar frequentava a comunidade do bairro São Pelegrino, onde se tornou ajudante dos párocos em celebrações eucarísticas, comandados pelos irmãos Lassalistas e as irmãs de São Carlos. Logo mais, apareceram muito meninos que receberam orientação dos religiosos e do padre para o exercício da função. Assim, rodeando as missas dominicais, de um primeiro grupo de crianças, dois garotos se destacaram: Osmar Meletti e Ramiro Corso. Enquanto o último tornou-se economista, Osmar Meletti seguiu a carreira jornalística, tendo, entretanto, importante representação na vida religiosa da cidade na época. Entre diversas ocasiões, ajudou no batizado de Vitor Angelo Dal Pos, filho de Francisco e Pierina Meneghetti Dal Pos, efetuado na ocasião pelo padre João Schiavo, beatificado recentemente em Caxias. 

Na foto, do lado esquerdo, percebe-se o vulto do pequeno Osmar, presente na ocasião da solenidade do batizado. À sua direita, o padre Schiavo realiza a cerimônia ao lado dos pais de Vitor, em 1945.

Uma parte de Caxias

Osmar Meletti na história de Caxias
Rua Oscar Meletti, no bairro SanVtito, em CaxiasFoto: Jornal Pioneiro / Reprodução

A importância de Osmar Meletti refletiu em diversas ações de reconhecimento pela comunidade. Além da placa em bronze feita em sua homenagem, seu nome foi estampado em uma das muitas placas de ruas de Caxias do Sul. O reconhecimento veio de várias ações realizadas pelo radialista, como a campanha de restauração do Teatro São Pedro, a colaboração na criação e organização do Festival de Cinema de Gramado, e a participação como mestre de cerimônia na edição do Festival de 1975. Além disso, também atuou como conselheiro do Sport Club Internacional e do Petrópolis Tênis Clube. 

Osmar casou-se com Aida Soares, com quem teve os filhos Nelson, Rosângela e Luiz Alberto. Doente há um tempo, faleceu precocemente, aos 47 anos, em 27 de abril de 1979, de insuficiência renal aguda. Na época, residia em Porto Alegre. O Discorama passou a ser comandado pelo radialista Paulo Deniz. 

Confira o programa Discorama feito em homenagem ao radialista em abril de 1979:

Confira outras publicações da coluna Memória

Leia antigos conteúdos do blog Memória 

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros