Memória: a primeira Festa da Vindima em Flores - Geral - Pioneiro

50 anos29/11/2017 | 10h15Atualizada em 29/11/2017 | 10h15

Memória: a primeira Festa da Vindima em Flores

A programação na época incluía um concurso de cantos regionais italianos, desfile de carros antigos, apresentações de bandas, missas e concertos. 

Memória: a primeira Festa da Vindima em Flores Acervo pessoal/Divulgação
Em 1967, a rainha Marisa Bigarella (no centro) em registro com as princesas Foto: Acervo pessoal / Divulgação

A organização da 1ª Festa Nacional da Vindima, que ocorreu há 50 anos,  enfrentou alguns empecilhos: além da dificuldade de reunir os membros do Conselho Municipal de Turismo, Flores da Cunha não contava com a infraestrutura hoteleira necessária e tinha pouco espaço para a exposição das uvas e do vinho. Somado a isso, a dificuldade de captar recursos financeiros para o evento. Mas a persistência dos moradores, entre eles o prefeito Raymundo Paviani, ultrapassou as dificuldades e permitiu que a festa fosse executada. 

Paviani sempre sonhou com uma festa voltada para a uva e o vinho, e teve a felicidade de ser um dos agentes que possibilitaram o evento em 1967. Em meados de setembro de 1966, ele convocou lideranças da cidade e conseguiu reunir cerca de 25 pessoas dispostas a ajudar. Após o aval da paróquia Nossa Senhora de Lourdes para construir o salão paroquial, a festa enfim ganhou forma. Exatamente às 10h do dia 26 de fevereiro de 1967, jornalistas, autoridades e uma centena de pessoas acompanharam a abertura da Primeira Festa Nacional da Vindima. 

Repercussão no Pioneiro da abertura da III Fenavindima, realizada em 1976.
Matéria anuncia a terceira edição da festa, em 1976Foto: Reprodução / Agencia RBS

A primeira rainha, Marisa Bigarella, e as princesas Odali Fontana, Silvia Mattioni, Bernardete Soldatelli e Maria do Carmo Toigo, passearam pela cidade em carros alegóricos, convidando todos a conhecer o município. Visitantes do Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso, Paraná e Santa Catariana prestigiaram a primeira edição da festa. 

A programação na época incluía um concurso de cantos regionais italianos, desfile de carros antigos, apresentações de bandas, missas e concertos. 

"A Festa da Vindima vem promover o homem que trabalha e produz", discursou Raymundo Paviani na abertura da festa principal de Flores da Cunha, que se consolidaria ano após ano nas próximas cinco décadas.

Estrutura principal

O salão paroquial teve sua pedra fundamental lançada em 1964, mas foi somente por conta da realização da 1ª Festa Nacional a Vindima que sua construção foi impulsionada. Conforme relatos da época do ex-prefeito Raymundo Paviani, foi acordado com o frei Tomaz, atuante da paróquia na época, que, se a paróquia construísse a parte térrea do salão, a prefeitura auxiliaria no restante das obras. Em pouco tempo, o projeto estava pronto. Além da festa, o salão paroquial abrigou também os bonecos Vitória e Marieta, feitos de frutas e que simbolizavam a fartura da terra de Flores da Cunha.

Resultados

Sósias de Shazan e Xerife fazem sucesso no desfile na Fenavindima de 1973.
Sósias de Shazan e Xerife fazem sucesso no desfile da Festa de 1973Foto: Acervo pessoal de Floriano Marini / Reprodução

A 1ª Festa da Vindima teve um lucro de 1 milhão e 200 mil cruzeiros, conseguidos por meio de venda de publicidade e ingressos. 

O secretário da agricultura, Luciano Machado, o deputado federal Tarso Dutra, além de Euclides Triches, Nadir Rosseti, Victor Faccioni, Pedro Simon, entre outras pessoas participaram da abertura da Festa.

A edição também teve a presença do dom Benedito Zorzi, bispo de Caxias, e do governador do Estado, Walter Barcellos.

Confira outras publicações da coluna Memória

Leia antigos conteúdos do blog Memória 

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros