Frei Jaime conclui estudos na Itália e volta para Caxias - Geral - Pioneiro

Retorno13/11/2017 | 19h54Atualizada em 14/11/2017 | 10h50

Frei Jaime conclui estudos na Itália e volta para Caxias

Religioso, que já voltou para Caxias, teve dificuldades em acessar empresas italianas para realizar pesquisa sobre gestão de pessoas

Frei Jaime conclui estudos na Itália e volta para Caxias Jonas Ramos/Agencia RBS
Frei Jaime deve fazer nova viagem para Europa para apresentar estudos a empresas que consultou e após voltará para Caxias em definitivo Foto: Jonas Ramos / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

Após cinco meses residindo em um colégio interno dos Capuchinhos em Roma, onde realizou estudos para o doutorado em Administração de Empresas, o frei Jaime Bettega retornou para Caxias do Sul no final do mês de outubro, onde deve permanecer para concluir o material acadêmico. 

Embora tenha aproveitado o tempo no país europeu para colher referências à pesquisa que realiza na área de gestão, o religioso afirma ter encontrado dificuldades no processo, o que também o influenciou a desistir de fazer o pós-doutorado na Itália.

Leia mais:
Frei Jaime: um conselho sempre é bem-vindo, principalmente quando a vida experimenta a incerteza
Frei Jaime: Uma infinidade de detalhes
Frei Jaime: o findar de uma jornada deveria cessar também as mágoas

— Precisei de quase quatro meses para ter acesso a duas empresas italianas. Lá as coisas são muito diferentes, eles são muito fechados, geralmente não realizam questionários internos e têm pouco interesse no assunto que pesquiso — revela.

A tese de Bettega aborda compaixão e liderança benevolente como elemento de gestão de funcionários em ambientes de trabalho. O material, segundo explica, propõe o desenvolvimento de características humanas na liderança de empresas.

— É possível comprovar que um tratamento humanizado cria uma ambiente mais alegre e favorável dentro das empresas, que ainda têm melhores resultados em termos de produção — acredita Bettega.

A experiência que atrasou o trabalho, no entanto, foi motivadora para repensar os planos para o futuro:

— Pretendia ficar até fevereiro (na Itália), mas decidi não começar pós-doutorado lá. Tinha estabelecido uma meta muito alta, muito audaciosa. Achei que chegaria lá e faria uma pesquisa rápida. Mas já estou vendo opções interessantes para prosseguir com os estudos futuramente no próprio Brasil.

Ainda assim, Bettega deve retornar à Itália no próximo dia 23 para apresentar os resultados da pesquisa às empresas que consultou. No dia 11 de dezembro, voltará em definitivo para o Brasil.

Apesar da experiência frustrada em termos de estudo, Bettega ressalta que a estada foi bastante proveitosa tanto pela convivência com cerca de 90 capuchinhos de diversos países quanto na percepção que teve do Brasil estando em um país estrangeiro:

— Quando a gente está longe do Brasil é que descobre os valores humanos que cultivamos aqui. Somos muito mais leves na questão humana, e temos uma convivência muito mais espontânea de afeto e solidariedade. Além de vivermos em uma cidade muito mais limpa e organizada  — afirma.

Com o retorno, ele relata que volta às atividades de docente do curso de Administração na Universidade de Caxias do Sul, além de retomar de forma mais ativa a participação em ações sociais. Frei Jaime também escreve coluna diária no Pioneiro.


 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros