Em segundo dia de greve, educadoras voltam a se manifestar em Caxias do Sul - Geral - Pioneiro

Educação Infantil28/11/2017 | 11h29Atualizada em 28/11/2017 | 13h15

Em segundo dia de greve, educadoras voltam a se manifestar em Caxias do Sul

Segundo levantamento, pelo menos 42 escolas seguem fechadas na cidade

Em segundo dia de greve, educadoras voltam a se manifestar em Caxias do Sul Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Professoras voltaram a ocupar a Câmara de Vereadores em sessão que discutiu queda nos repasses da prefeitura para a cultura Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

No segundo dia de paralisação da categoria, professoras das escolas de Educação Infantil de Caxias do Sul voltaram a se manifestar. Na manhã desta terça-feira (28), elas ocuparam a Câmara de Vereadores e depois seguiram para a frente da prefeitura de Caxias para pedir explicações ao prefeito Daniel Guerra (PRB). Durante a manifestação, as educadoras se deram as mãos e "abraçaram" o Centro Administrativo. 

A categoria solicita a manutenção dos salários e garantia de recontratação para 2018. Os convênios com as entidades que administram as 45 escolas de Educação Infantil do município serão encerrados no fim de dezembro e substituídos por um contrato de gestão compartilhada para se adequar à Lei federal 13.019, que regula a parceria entre o poder público e o setor privado. 

Leia mais:
Campanha Natal do Bem leva atrações para a Praça Dante Alighieri, em Caxias
Sem presença da prefeitura, audiência reforça contrariedade à gestão compartilhada do Postão de Caxias

Conforme o presidente do Sindicato dos Empregados em Entidades, Culturais, Recreativas, de Assistência Social, de Orientação e Formação Profissional (Senalba) de Caxias, Alceu Adelar Hoffmann, que representa a categoria, as educadoras devem seguir em caminhada pelo centro da cidade para, no inicio da tarde, iniciar um protesto em frente à Secretaria Municipal da Educação, repetindo ato realizado na manhã da segunda-feira (27).

Hoffmann destaca que ainda não recebeu contato da prefeitura ou das entidades responsáveis pelas escolinhas. Portanto, o movimento segue por tempo indeterminado. 

O sindicalista afirma nenhuma escola conveniada com o município está funcionando nesta terça. O Pioneiro realizou levantamento com o Centro Filantrópico de Assistência Social Charles Leonard Simon Lundgren, com o Centro Cultural Jardelino Ramos, e com a Associação de Educação Integral Educaritá, responsáveis por 42 das 45 escolinhas do município. De acordo com as instituições, todas estão fechadas. Não foi possível contatar as entidades restantes. 

Cerca de 475 educadoras trabalham nas escolas, que atendem aproximadamente 4,3 mil crianças de até cinco anos. 

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros