Memória: Jornal Pioneiro na Itália, em 1950 - Geral - Pioneiro

Internacional26/10/2017 | 14h24Atualizada em 26/10/2017 | 15h41

Memória: Jornal Pioneiro na Itália, em 1950

José Dallabilia produziu relatos e imagens publicadas em sete edições, narrando a saída de Caxias do Sul

O fotógrafo José Dallabilia representou a primeira incursão do jornal Pioneiro na Europa. Na condição de enviado especial, Dallabilia integrou um grupo de caxienses que participou da canonização de Maria Goretti, em Roma, pelo Papa Pio XII.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (24/10/2017) José Dallabilia.  Reprodução do jornal Pioneiro>
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Dallabilia produziu relatos e imagens publicadas em sete edições, narrando a saída de Caxias do Sul, em 3 de maio de 1950, até a chegada em Roma, no dia 24 de junho. No grupo de peregrinos de Dallabilia, viajaram os padres Orestes Valletta e Felix Busatto e os paroquianos Jacinto Vial, Silvio Zampieri, Pedro Buffon, Luiz Centenaro, Alcides Pauletti, Constantino Manfro, Silvio Da Ré, Secondo Crosa, Luis Bertola, Isolina Bertola, Corina Viola e Ari Viola.

Conforme Dallabila, os caxienses se deslocaram de ônibus até Porto Alegre. Em seguida, viajaram até o Rio de Janeiro, com a empresa aérea Cruzeiro do Sul.

Na edição de 17 de junho, o jornal anuncia na capa a chegada dos caxienses no porto de Genova. Pela narrativa do repórter Dallabilia, o navio Ana C, de 183 metros de comprimento, saiu do Rio de Janeiro, parou na Bahia, onde os passageiros desceram para comprar alimentos. Havia argentinos, portugueses, italianos e 10 padres na viagem. A tripulação era atenciosa, mostrando os equipamentos que comandavam a rota do navio. Os padres Busatto e Valleta celebravam missa diárias, com sermão em idioma italiano.

A viagem descrita como monótona, transcorreu sem incidentes. No dia 14 de maio, o rádio avisou a passagem pela linha do Equador. No dia 15, foi presenciado a passagem de outro navio da mesma companhia, quando ambos saudavam-se reciprocamente, com espocar de foguetes e apitos, momentos de emoção e lágrimas em meio à imensidão do oceano Atlântico. No dia 22 de maio, chegaram em Lisboa e almoçam no restaurante Leão de Ouro. Na noite de 25 de maio, o navio atracou no porto de Genova. Na imagem registrada por Dallabilia, percebe-se os amigos caxienses antes do desembarque, que na ocasião relembraram o local de partida de muitos ancestrais italianos, que emigraram para o Brasil.

Maria Goretti em Roma

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (24/10/2017) José Dallabilia.  Reprodução do jornal Pioneiro>
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Os caxienses testemunharam uma solenidade gigantesca, que mobilizou 500 mil católicos na Praça de São Pedro. A menina Maria Goretti, morta aos 11 anos, serviu de modelo de pureza para o mundo e virou santa. Na ocasião, o Papa Pio XII alertou para os maus costumes que se aproveitam de livros, ilustrações, filmes e ambições da moda para introduzirem na família e na sociedade virtudes nefastas e inversões de valores.

Na imagem, percebe-se cenas da santificação, onde um numeroso clero participou do ritual religioso em Roma. José Dallabilia demonstrou competência para transmitir um conteúdo de qualidade para o jornal Pioneiro, sendo a primeira reportagem com esta característica na história do diário caxiense. 

O fotógrafo José Dallabilia

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (24/10/2017) José Dallabilia.  Reprodução do jornal Pioneiro>
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

José Dallabilia (02/08/1909-29/03/1955), nascido em Lagoa Vermelha, começou trabalhar na Metalúrgica Abramo Eberle em 1928. Nesta empresa, desenvolveu inovações nos processos de produção, sendo reconhecido pelo espírito inventivo.

Na comunidade, colaborou com Caxias do Sul nas áreas culturais e recreativas. Integrou o grupo de fundadores do jornal Pioneiro, bem como realizou reportagens fotográficas nos primórdios. Dallabilia foi quem registrou o primeiro encontro de funcionários, em fevereiro de 1949, na chácara da família kaiser, com sua máquina Speed Graph. Dentre os flagrantes de forte impacto na história da cidade, destaca-se o incêndio que destruiu a casa comercial Minghelli, em 1952.

Hoje, uma rua no bairro Fátima homenageia Dallabilia. 

Confira outras publicações da coluna Memória

Leia antigos conteúdos do blog Memória 

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros