Fórum de Caxias do Sul reabre em novo prédio nesta segunda-feira - Geral - Pioneiro

Justiça23/10/2017 | 08h00Atualizada em 23/10/2017 | 08h00

Fórum de Caxias do Sul reabre em novo prédio nesta segunda-feira

Complexo da comarca caxiense terá mais de 19 mil metros quadrados

Fórum de Caxias do Sul reabre em novo prédio nesta segunda-feira Roni Rigon/Agencia RBS
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

O novo prédio do Fórum de Caxias do Sul passa a funcionar a partir desta segunda-feira (23) em ambiente maior e que reorganiza os serviços de uma das mais importantes articulações da Justiça na Serra Gaúcha. Ao todo, o complexo da comarca caxiense ficará com mais de 19 mil metros quadrados. A reforma do prédio, construído há 25 anos, e a construção de uma nova torre onde era o estacionamento do Fórum, no bairro Exposição, impactará diretamente na nova distribuição do atendimento ao público. 

Leia mais:
Grupos de auxílio a pacientes de câncer de mama promovem ato de conscientização em Caxias
Orquestra Sinfônica da UCS reúne duas mil pessoas em concerto especial neste domingo, em Caxias

A entrada principal segue a mesma, e uma escada de acesso interna situada em meio ao prédio permite o fluxo de usuários e funcionários de forma rápida entre os dois edifícios. Para a torre revitalizada migram a direção do Foro, a sala dos oficiais de Justiça, técnicos como psicólogos, psiquiatras e assistentes sociais, varas criminais, salão do Júri, Centro Judiciário de Soluções de Conflitos e Cidadania (CEJUSC), Vara de Execuções Criminais (VEC) e os juizados especiais cível e criminal. 

Na torre nova, que concentra todos os serviços desde o ano passado, ficarão as varas cíveis. O próximo passo é a implantação total de processos eletrônicos, prevista para 2018, com a consequente diminuição no tempo de espera das tramitações. O novo prédio tem oito andares, incluindo a área de estacionamento.

Ainda que a previsão seja a implantação do sistema eletrônico para o próximo ano, ainda não há previsão do momento exato que passará a operar.  Sabe-se, no entanto, que o sistema adotado será o mesmo já usado na Justiça Federal.

Somente a recuperação do prédio antigo custou cerca de R$ 40 milhões. Os recursos são provenientes dos rendimentos dos depósitos judiciais. A reforma e ampliação se justificam pela necessidade de espaço para varas e juizados já existentes, já que a demanda cresce ano a ano.

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros