Escola de Caxias viabiliza compra de balanço para cadeirantes por meio de mobilização junto à comunidade  - Geral - Pioneiro

Inclusão13/09/2017 | 07h50Atualizada em 13/09/2017 | 07h50

Escola de Caxias viabiliza compra de balanço para cadeirantes por meio de mobilização junto à comunidade 

Além dos alunos, equipamento instalado no pátio aberto da Escola Arnaldo Ballvê também pode ser utilizado pela população

Escola de Caxias viabiliza compra de balanço para cadeirantes por meio de mobilização junto à comunidade  Roni Rigon/Agencia RBS
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Enquanto crianças se divertiam diariamente no parquinho anexo à Escola Municipal Arnaldo Ballvê, no bairro Santa Lúcia Cohab, em Caxias do Sul, quatro alunos cadeirantes que estudam na instituição se limitavam a observar os colegas, impossibilitados de utilizar os equipamentos em razão da restrição física. Há algumas semanas, no entanto, essa realidade mudou. A união de esforços entre conselho escolar, direção, comunidade e Associação de Moradores do Bairro (Amob) Santa Lúcia concretizou uma ideia almejada há anos: a instalação de um balanço adaptado para uso de cadeirantes, que contém espaço para acompanhante.

O sucesso da iniciativa foi imediato. Hoje, em diversos momentos do dia, fora e durante o período de aula, os antes excluídos se juntam à diversão.

— Há mais de dois anos tentávamos viabilizar essa ideia. Apresentamos a proposta à prefeitura na época, mas nunca tivemos o retorno esperado — relata a diretora Sandra Virgínia Sandre.

Ao contrário da prefeitura, a comunidade se dispôs imediatamente a angariar os recursos. Em março, a escola, em parceria com a Amob Santa Lúcia e com a colaboração da Igreja Santa Lúcia, realizou um almoço para arrecadar o dinheiro necessário à aquisição do equipamento. Mais de 600 pessoas compareceram ao evento, que conseguiu aproximadamente R$ 5 mil. Com o valor, além do balanço, foram adquiridos cinco quadros-negros.

Leia mais:
Restos do pedágio de Farroupilha devem ser removidos 
Evasão escolar em Caxias do Sul é maior que no país e no Estado
Rotatória de Fazenda Souza, em Caxias do Sul, não deve ser concluída até outubro

Sandra ressalta que o sucesso da ação motiva a busca por outros equipamentos que proporcionem a inclusão dos PCDs que frequentam a escola — 24 alunos ao todo.

— Estamos pesquisando um carrossel adaptado para instalar. A escola já oferece atividades inclusivas como teatro, oficinas de RPG, tênis de mesa e CTG, mas queremos sempre mais —complementa.

De acordo com a professora de Atendimento Educacional Especializado (AEE) Mara Rossatto, a compra do balanço corrobora com a política da instituição de oferecer ferramentas de inclusão aos alunos com deficiência, permitindo que eles compartilhem as mesmas atividades desenvolvidas por toda a escola.

— É um gesto simples, mas que, para essas crianças, representa muito. Basta ver a felicidade no olhar delas. A escola preza muito pela inclusão e praticamos outras várias ações para reforçar isso — ressalta.

Poucos equipamentos disponíveis

A Arnaldo Ballvê é a primeira escola de Caxias do Sul a oferecer o brinquedo inclusivo. A inspiração para a ideia, de acordo com a diretora Sandra Virgínia Sandre, surgiu da existência de um balanço do mesmo modelo na Praça Vico Barbieri, em Bento Gonçalves. O equipamento foi implantado no local em 2014. Logo depois, a ideia começou a ser pensada em Caxias.

— É um equipamento relativamente simples, mas não encontrei muitas empresas fabricantes no processo de pesquisa. Precisei buscar orçamentos em outros Estados — revela Sandra.

A Secretaria do Esporte e Lazer (Smel), que é responsável por instalar equipamentos em áreas recreativas, avalia de forma positiva a iniciativa da escola, mas adianta que não há estimativa da adesão de brinquedos inclusivos em áreas de lazer. Por outro lado, a coordenadora do setor de paradesporto e lazer inclusivo da Smel, Trícia Dal Pubel, destaca que há opções oferecidas em espaços públicos do município:

— Temos atividades sistemáticas que são realizadas no campo municipal e no Enxutão, onde recebemos crianças e adultos PCDs. Recentemente, passamos também a atuar nas quartas-feiras pela manhã, no Parque dos Macaquinhos.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (31/09/2017) Escola Arnaldo Ballvê instala equipamento para cadeirantes brincarem de balanço com segurança, propósito que promove a inclusão social.  NA FOTO,  O CUIDADOR MAIRLON SCHMIDT ALANO  COM A ALUNA BRUNA MENEGAT DONDÉ, 11 ANOS.  (Roni Rigon/Pioneiro).
Equipamento possibilita a integração dos cadeirantes com os colegas.Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Segundo o coordenador do programa de academias populares da Smel, Tiago Antonini, a pasta está definindo como regra a instalação de, no mínimo, dois equipamentos inclusivos para PCDs para as próximas áreas que serão contempladas com os aparelhos para exercícios físicos.

— Não temos perspectiva de quando instalaremos brinquedos nas áreas de lazer, mas já há discussões sobre isso. O que podemos garantir, no momento, é que vamos aumentar o número de equipamentos inclusivos nas academias — adianta.

Aberto ao público

O balanço frontal para cadeirantes está também disponível para toda a população de PCDs. O brinquedo está instalado na área recreativa da Escola Arnaldo Ballvê, que fica em um espaço aberto, aos fundos do ginásio da instituição, localizado entre as ruas Capitão Artemin Karam e Carmelindo Piccoli, no bairro Santa Lúcia Cohab.

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros