Em vídeo, caxiense mostra a força do furacão Irma na Flórida - Geral - Pioneiro

Desastre natural11/09/2017 | 16h59Atualizada em 11/09/2017 | 17h37

Em vídeo, caxiense mostra a força do furacão Irma na Flórida

Davi Santos mudou-se há duas semanas para os Estados Unidos

Em vídeo, caxiense mostra a força do furacão Irma na Flórida reprodução/reprodução
Foto: reprodução / reprodução
Pioneiro
Pioneiro

O caxiense Davi Santos, 35 anos, que mudou-se há duas semanas para Fort Lauderdale, a 46 quilômetros de Miami, percorreu as ruas da cidade para conferir os estragos do furacão Irma nesta segunda-feira. No domingo, quando o Irma perdeu a força e foi classificado como tempestade tropical, Santos aproveitou para ir às ruas e gravar um vídeo da ventania. Ele voltou às ruas nesta terça-feira e fez um novo vídeo mostrando os estragos.

O caxiense descreve um cenário impressionante: árvores caídas, casas destelhadas, carros destruídos e canos estourados. Por outro lado, observou o grande esforço das autoridades para remover entulhos e trazer Fort Lauderdale à normalidade.

— É algo que impressiona, sendo que o furacão chegou por aqui numa categoria menor do que quando passou pelo Caribe. Mas há uma agilidade para fazer os reparos que merece elogios — conta Santos.

Segundo ele, o Irma passou pela cidade por volta das 4h da manhã de domingo (5h no Brasil). 

— Foram quase 24 horas de vento forte, mais de 120 quilômetros por hora. Tivemos que ficar em casa. Foi muita tensão. Tu pensa no que pode acontecer. Tu vê os carros balançarem com o vento, a luz caindo, é muito tenso — descreve.

Leia mais
"O susto foi forte", diz caxiense após passagem do furacão Irma pela Flórida
"Escapamos", diz mensagem enviada por caxiense que está no Caribe e será resgatada pela FAB
"Dá um pânico", diz caxiense em férias na Flórida sobre furacão Irma
Gêmeos caxienses que jogam basquete na Flórida aguardam passagem do furacão Irma em abrigo público 

Segundo ele, o estrago só não foi maior em Fort Lauderdale porque o furacão perdeu força e o governo da Flórida distribuiu proteções para os moradores colocarem nas portas e janelas. Após a passagem da tempestade, ele ouviu relatos de saques em lojas na cidade, mas não obteve informações sobre desabrigados.

— O estrago foi maior sim no Caribe. Hoje, está tranquilo, o sol está brilhando aqui em Fort Lauderdale — complementa.

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros