Memória: Modernidade nos postos caxienses - Geral - Pioneiro

Cidade24/08/2017 | 15h18Atualizada em 24/08/2017 | 15h29

Memória: Modernidade nos postos caxienses

Em março de 1937, a revista Terra Fluminse registrou o trabalho empresarial dos irmãos Thompson 

Memória: Modernidade nos postos caxienses Reprodução/Divulgação
 Irmãos Thompson apostaram em serviços e atendimento de qualidade, além de ter uma estrutura grande Foto: Reprodução / Divulgação

A expressiva economia de Caxias do Sul propicia a instalação de modernos postos de combustíveis permanentemente. Na década de 1930, quando a cidade era impulsionada pela Metalúrgica Eberle, pelo setor vinícola e madeireiro, os irmãos Vico e Germano Thompson perceberam a necessidade de instalar uma moderna loja para recepcionar motoristas e abastecer carros.

Leia mais
Um Brasil noventista em Gramado
Retratos históricos da família Lorenzi
Memória: Hotel Sartori na década de 1940
A indústria caxiense atuante na Bahia

Em março de 1937, a revista Terra Fluminse registrou o trabalho empresarial dos irmãos Thompson e elogiou o posto de gasolina como uma estrutura elegante. Na imagem reproduzida, percebe-se o pátio de abastecimento feito com laje de concreto, sustentada por dois pilares em pedra esculpida. Junto às duas bombas de gasolina, estão dois operadores uniformizados para atender aos clientes.

Este posto estava localizado na esquina das ruas Visconde de Pelotas e Pinheiro Machado. Os fregueses usufruíam de um serviço de vulcanização de câmara de ar, troca de óleo, lavagem de carros e atendimento conceitual na calibragem dos pneus e reposição de água para os radiadores de motores.

Em 1948, o empreendimento dos sócios Germano Thompson, Fiorelo Biassiori e Irmãos Ungaretti foi vendido para os irmãos Comadulli, que inovaram ao atender durante a noite e aos domingos, cuja gestão mudou o nome para Posto Caloric.

Na década de 1930, as grandes marcas de carros chegavam ao mercado caxiense. O empresário Germano Thompson também administrava a revenda Ford e comercializava pneus da marca Dunlop. A agência Chevrolet, localizada na Avenida Júlio, em São Pelegrino, era administrada por Agostinelli & Zanella. 

Posto do Nilo na Rua Marechal Floriano

Postos de gasolina representam a dinâmica econômica local Foto: Tomazzoni / Divulgação

Em 1940, Caxias se consolidou na indústria automobilística. A loja Auto Caxias oferecia uma oficina e peças para manutenção. A Auto Palácio revendia a marca Chevrolet num prédio luxuoso. O glamour de possuir um carro movia o comércio local. A Auto Mecânica revendia os caminhões importados da marca Studbaker e disponibilizava um posto de gasolina e seção de peças e acessórios. Na década de 1950, evidenciaram-se as concessionárias Auto Nordeste e Sociedade Caxiense de Automóveis.

Assim, ampliaram-se as oportunidades para investir na abertura de postos de gasolina. Na imagem ao lado, de 1968, vê-se o posto do Nilo. Nilo Rigon revendia produtos da Shell e atendia a frotas de veículos do Grupo Kalil Sehbe e empresas de ônibus do Expresso Bressan, São Marcos, Unesul, Vila Oliva e Floresta. 

História na Pizzaria Giordani

Marcos Giordani recuperou uma bomba de gasolina da emblemática Esso Foto: Jonas Ramos / Agencia RBS

A evolução dos postos de gasolina está associada às marcas de empresas multinacionais petrolíferas. Toda estética publicitária marcou a geração de várias pessoas e ainda emociona os saudosistas. Para quem não viveu o passado ou que ainda sente saudades, uma forma de se aproximar das antigas bombas de gasolina ou de apreciar galões de óleo é conferir o precioso acervo decorativo da Pizzaria Giordani.

Defronte ao restaurante, Marcos Giordani, reconhecido como um garimpeiro de objetos históricos, recuperou e instalou duas bombas das marcas Atlantic e Esso. As relíquias estão harmonizadas na fachada da pizzaria.

Confira outras publicações da coluna Memória

Leia antigos conteúdos do blog Memória


 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros