Hospital Pompéia renova contrato com a prefeitura de Caxias do Sul - Geral - Pioneiro

Saúde26/08/2017 | 10h53Atualizada em 26/08/2017 | 10h54

Hospital Pompéia renova contrato com a prefeitura de Caxias do Sul

Repasse de recursos de cerca de 1,7 milhão por mês foi mantido pela administração municipal

Hospital Pompéia renova contrato com a prefeitura de Caxias do Sul Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

O Hospital Pompéia e a prefeitura de Caxias do Sul assinaram nesta semana os termos de renovação do contrato que mantêm. A entidade recebe cerca de R$ 1,7 milhão por mês do Município para custear suas atividades.

— A negociação foi no sentido de manter quantitativamente os serviços de hoje, do atendimento hospitalar pelo SUS e ambulatorial. Na parte orçamentária também permanece a mesma — relata Francisco Ferrer, superintendente da instituição.

Leia mais:
Prefeitura espera remover pombos de praças de Caxias até final do ano
Conceito sustentável reduz condomínio em loteamento de Caxias
Cidades da Serra planejam implantar ciclovia ligando Veranópolis a Nova Bassano

Dentro do valor acordado, estão R$ 155 mil mensais correspondentes à parte da verba que era repassada pelo governo do Estado até 2015, para compensar a defasagem da tabela do Sistema Único de Saúde (SUS) do governo federal.

Ferrer explica que o contrato tem vigência até março do ano que vem. Após esse período, o termo pode ser revisado. A intenção do Hospital é que em 2018 o repasse seja reajustado de acordo com a inflação do período.

Estado deve R$ 1,44 milhão ao hospital

Os atendimentos públicos do Hospital Pompéia são financiados pela prefeitura de Caxias, o governo do Rio Grande do Sul e a União. De acordo com o superintendente do Pompéia, a administração estadual não paga há três meses o repasse que custeia o atendimento de urgência e emergência, gestação de alto risco e a UTI da instituição.

—  Isso é uma situação que se repete em vários hospitais do Estado. Essa questão está sendo vista pela Federação (Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes, Religiosos e Filantrópicos do Rio Grande do Sul), que está negociado em nome dos hospitais. Mas até agora não temos nenhum retorno do governo — lamenta.

O atraso na verba de R$ 480 mil mensais, por enquanto, não está afetando os atendimentos do Pompéia, mas, segundo Ferrer, prejudica o fluxo de caixa e o pagamento de fornecedores da instituição.

A Secretaria Estadual da Saúde confirmou que os pagamentos para o mês de maio e junho aos hospitais e prefeituras do RS estão atrasados. A exceção são os casos em que decisões judiciais obrigaram o Estado a repassar os recursos. Segundo a pasta, intenção é regularizar os pagamentos na medida em que houver disponibilidade financeira. 

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros