Número de jovens interessados em seguir a vida religiosa vem caindo ano a ano na Serra - Geral - Pioneiro

Religião15/07/2017 | 08h00Atualizada em 15/07/2017 | 08h00

Número de jovens interessados em seguir a vida religiosa vem caindo ano a ano na Serra

Baixa procura levou seminário de Farroupilha a alugar prédio

Número de jovens interessados em seguir a vida religiosa vem caindo ano a ano na Serra Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Nos anos 1990, o seminário de Farroupilha, que oferecia Ensino Fundamental e Médio, chegou a ter 80 seminaristas Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

A falta de interessados em seguir a vida de padre transformou o prédio do Seminário Apostólico Nossa Senhora de Caravaggio, em Farroupilha, em um espaço para convenções e treinamentos de empresas. É o maior exemplo do esvaziamento da igreja por parte dos jovens na Serra. A situação não é recente, segundo o diretor do seminário, padre Ivan Luiz Bassotto, mas é efeito da diminuição gradativa do número de jovens que querem servir à Igreja Católica, um tendência que se agravou nos últimos anos na região. Nos anos 1990, o seminário, que oferecia Ensino Fundamental e Médio, chegou a ter 80 seminaristas; nos anos 2000, esse número baixou para 25. Desde 2015 não há interessados, de acordo com o religioso:

— Hoje é visível que as instituições como escola e família estão em crise. Isso, e a mudança do mundo, hoje repleto de oportunidades, foram afastando o jovem da igreja. Antes o ambiente era rural, agora é urbano, com inúmeras opções profissionais. Antigamente, ser padre era uma opção quase que necessária. Não é mais assim — pondera Bassotto.

Leia mais:
Bilhete de R$ 3 milhões de apostador de Caxias do Sul pode estar no lixo
Custo máximo para operação da UPA Zona Norte, de Caxias, será de R$ 1.880 milhão por mês 
Daniel Guerra respalda secretária de esporte e lazer após vazamento de áudio

Para tentar mudar essa realidade, e com a esperança de que os jovens voltem a se interessar pela vida consagrada, o seminário de Farroupilha realiza encontros, no primeiro domingo de cada mês, para despertar a vocação religiosa em possíveis interessados. Padres também visitam escolas e comunidades com o intuito de disseminar informações sobre a igreja e encontrar crianças e adolescentes que têm o desejo vestir a batina. Padre Bassotto também explica que há grupos menores de estudos para seminaristas, mas que hoje a intenção não é mais ter grandes turmas, como acontecia há anos no Seminário de Caravaggio, pertencente à Congregação dos Pobres Servos da Divina Providência. O prédio do seminário, na Rua dos Romeiros, tem mais de 6 mil metros quadrados e consome R$ 30 mil mensais em manutenção.

— Não há razão para termos uma seminário do tamanho desse nosso aqui hoje em dia — lamenta.

Um dos principais reflexos do desinteresse pela vida religiosa, segundo o diretor do seminário, é uma exigência maior dos padres. Religiosos estão atendendo mais de uma paróquia. Em Coronel Pilar, por exemplo, dois sacerdotes precisam estar disponíveis na comunidade de Marcorama e Boa Vista:

— Seria bom que o número de padres fosse maior, obviamente, ainda mais porque muitos que estão trabalhando há muito tempo devem parar uma hora. Mas é um trabalho que precisa começar desde cedo.

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros