Memória: Em 1995, Gina brilha em Gramado - Geral - Pioneiro

Cinema04/07/2017 | 10h25Atualizada em 04/07/2017 | 10h29

Memória: Em 1995, Gina brilha em Gramado

Há 20 anos, em julho de 1997, a atriz comemorava 70 anos de vida

Setembro ainda não chegou, mas é válida a lembrança da estrela que encantou a noite do Festival de Cinema de Gramado em 1995. Gina Lollobrigida, atriz e fotógrafa italiana, esteve em terras gaúchas, e foi homenageada na abertura do Festival de Cinema de Gramado com um Kikito de ouro. Encantada com a região das hortênsias, a atriz demonstrou o eterno bom humor quando se disse surpresa por ter notado a predominância italiana e não brasileira na cidade, referindo-se ao legado da colonização.

Foto: Pioneiro / Reprodução

No anos 1950 e 1960, Gina foi uma das mulheres mais desejadas de Hollywood. Dentre famosos declarados apaixonados por ela estavam Errol Flynn, Frank Sinatra, Anthony Quinn e Burt Lancaster. 

Ainda em Gramado, após ser questionada sobre as novas atrizes do cinema em ascensão e a relação das mulheres com o sex-symbol, termo criado pela indústria cinematográfica, Gina respondeu de forma irônica e elegante com a expressão ¿porca miseria¿, afirmando que as antigas divas do cinema faziam as pessoas sonharem, sem o apelo do corpo, criticando a objetificação da mulher no cinema.

Há 20 anos, em julho de 1997, a atriz comemorava seus 70 anos de vida e 50 de carreira. Tinha apenas 20 anos quando começou a frequentar os estúdios da Cinecitta, onde trabalhou como figurante juntamente com a amiga e colega Silvana Mangano. Depois de topar uma série de papeis secundários, sua carreira decola em 1951, ao ser escolhida pelo diretor francês Christian-Jaque para atuar no filme Fanfan La Tulipe, ao lado do ator Gérard Philipe.

Em seguida, protagonizou inúmeras produções franco-italianas, como Esta Noite é Minha (1952), A Insatisfeita (1953) e A Romana. (1954) Além destes, protagonizou a comédia italiana Pão, Amor e Fantasia (1953), de Luigi Comencini, e seu primeiro filme da carreira internacional, O Diabo Riu por Último (1953), de John Huston.

Em 1968, tem um de seus grandes momentos em Aquele Novembro Maravilhoso, de Mauro Bolognini.

Ao fim de 1977, Gina Lollobrigida encerrou a carreira de atriz para dedicar-se à fotografia e à pintura, apresentando desde então inúmeras exposições pela Europa e Estados Unidos. Atualmente, perto de completar 90 anos, a atriz reside em Roma. (Foto: Pioneiro, reprodução)

Para conhecer

Foto: Quando Setembro Vier / Reprodução

Apesar de nunca ter recebido um Oscar, Gina Lollobrigida recebeu, ao longo de sua carreira, 29 prêmios. Entre os títulos mais importantes, estão Fanfan la Tulipe (1952), O Diabo Riu por Último (1953), Pão, Amor e Fantasia (1953), Esta Noite é Minha (1952) e Pão, Amor e Ciúme (1954).

Para quem quiser conhecer um pouco mais do trabalho da atriz, uma boa dica é conferir o filme Quando Setembro Vier, de 1961, que foi de grande reconhecimento em sua carreira. Neste filme, Gina trabalha ao lado de Rock Hudson (foto abaixo).

Confira outras publicações da coluna Memória

Leia antigos conteúdos do blog Memória


 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comInscrições para universidade gratuita em Gramado estão abertas https://t.co/X5dwfhAlgH #pioneirohá 3 minutosRetweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comPoliciais de Farroupilha prendem suspeitos de roubo e sequestro a taxista de Garibaldi https://t.co/84xQdtNW5n #pioneirohá 14 minutosRetweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros