Memória: A indústria caxiense atuante na Bahia - Geral - Pioneiro

Empreendedorismo24/07/2017 | 14h09Atualizada em 24/07/2017 | 14h09

Memória: A indústria caxiense atuante na Bahia

Em 1977, o Grupo Alfred produzia uma variada linha de roupas em couro, camisas e artigos em malha

Memória: A indústria caxiense atuante na Bahia Publivar/Divulgação
Foto: Publivar / Divulgação

O empreendedorismo de Caxias do Sul desbravou o Brasil com a instalação de escritórios nas principais capitais do país. A Metalúrgica Abramo Eberle e as grandes vinícolas foram as pioneiras na conquista de novos mercados. Neste ritmo, em 1973, o Grupo Alfred, atuando numa estratégia de expansão, abriu uma unidade produtiva em Salvador, na Bahia. A instalação de uma fábrica de confecções masculinas certificou a qualidade dos produtos caxienses no cenário nacional.

O fato ganhou repercussão na imprensa. O jornalista José Ferreira Machado, do jornal Pioneiro, viajou para conhecer o empreendimento. Na reportagem veiculada em 28 de agosto de 1973, Machado relatou a existência de uma estrutura moderna na produção de roupas.

Conforme Machado, a Alfred Nordeste era gerenciada por Chafic Andari e Jamil Saba. O jornalista foi recebido pelo prefeito Cleriston Andrade, que manifestou satisfação de receber investimentos do tradicional grupo caxiense, fundado em 1927 pelo libanês Kalil Sehbe.

Na imagem principal, percebe-se o majestoso prédio localizado na Avenida Fernando da Cunha, nº 34. Num relatório da empresa, publicado em 1977, o Grupo Alfred produzia uma variada linha de roupas em couro, camisas e artigos em malha. Os fios e tecidos em lã e algodão eram de origem nacional, adquiridos com atenção especial na qualidade. Além de Caxias do Sul e Salvador, havia produção em Veranópolis e Porto Alegre.

Visita do Governador Baiano

Foto: Publivar / Divulgação

A Alfred Nordeste, idealizada na década de 1970 pelos empresário Miguel e Jorge Sehbe, consolidou-se no mercado pelo elevado conceito de suas coleções de roupas masculinas. A unidade produtiva na Bahia foi recepcionada com simpatia pelas lideranças políticas e empresariais.

Numa das imagens memoráveis na história da Alfred Nordeste, destaca-se a visita do então governador Antonio Carlos Magalhães, em 1979. Naquela ocasião, o governador Magalhães (D) esteve acompanhado por Miguel Sehbe (E) durante a visita na seção de costuraria.

Geração de empregos

Foto: Publivar / Divulgação

A expansão do grupo Alfred dignifica a história industrial de Caxias do Sul. O imigrante libanês Kalil Sehbe chegou ao Brasil por volta de 1922 e dedicou-se inicialmente ao comércio de tecidos. Em 1927, inaugurou uma confecção com oito máquinas de costuras e 12 colaboradores.

A imponente fábrica na Bahia nada mais é do que o resultado vitorioso, conjugado com uma determinação sensível na vocação de produzir roupas para deixar as pessoas belas e elegantes.

Na imagem ao lado, percebe-se a seção de costuraria, concebida por um ambiente agradável de trabalho e bem iluminada. Em 1976, a Alfred Nordeste possuía 320 máquinas de costura e empregava 400 colaboradores.

Leitor

Você tem alguma história que possa ser publicada na coluna Memória? Envie sua sugestão para o e-mail bruna.valtrick@pioneiro.com.

Confira outras publicações da coluna Memória

Leia antigos conteúdos do blog Memória

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comHomem sofre fratura nas duas pernas em empresa de Caxias do Sul https://t.co/NlRqVeBNVa #pioneirohá 7 horas Retweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comEstacionamento na Avenida Rio Branco volta a operar em Caxias https://t.co/s6RxA2Xnx1 #pioneirohá 8 horas Retweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros