Voluntárias revolucionam e dão exemplo no Hospital São Carlos, em Farroupilha - Geral - Pioneiro

Solidariedade26/06/2017 | 07h55Atualizada em 26/06/2017 | 07h55

Voluntárias revolucionam e dão exemplo no Hospital São Carlos, em Farroupilha

Entre as principais ações das Voluntárias da Saúde de Farroupilha está a reforma do telhado da entidade de saúde

Voluntárias revolucionam e dão exemplo no Hospital São Carlos, em Farroupilha Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Voluntárias da Saúde de Farroupilha arrecada dinheiro e compra os itens de maior necessidade para o hospital Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

<< LEIA TAMBÉM Hospital São Carlos acumula déficit de R$ 40 milhões

O interesse em manter funcionando o Hospital São Carlos, em Farroupilha, não é exclusivo de líderes políticos e gestores da instituição. Por ser a maior prejudicada com o possível fim do serviço, a comunidade está tão engajada que dá o maior exemplo de iniciativa e organização dentre os envolvidos. Não fosse a atuação do grupo Voluntárias da Saúde de Farroupilha, o hospital não estaria em reformas e, mesmo com 83 anos, com aspecto de novo. Após recusar o convite da prefeitura para atuar na administração do hospital, ainda em 2015, a bancária aposentada Lourdes Refosco decidiu reunir algumas amigas e criar o Voluntárias da Saúde de Farroupilha. Ela não esperava que as 15 amigas levassem a ideia tão a sério: são mulheres da sociedade que, dentre os compromissos diários, passaram a incluir o São Carlos como prioridade.

Leia mais
Hospital São Carlos, de Farroupilha, acumula déficit de R$ 40 milhões

— Quando fui procurar ajuda das mulheres, ninguém me disse não. Em ouvi de minha filha: mãe, o hospital não tem lençol, toalha de banho, rouparia. O campo cirúrgico está detonado. Então, o padre nos deu uma salinha na paróquia e passamos a nos encontrar todas as terças-feiras para resolver isto — afirma Lourdes.

O primeiro encontro ocorreu em agosto de 2015 e, dois meses depois, o primeiro evento já resultava em mais de R$ 30 mil de lucro. O hospital encaminhou uma lista com as principais necessidades (que totalizavam pouco mais de R$ 50 mil), e as voluntárias fizeram as compras. A diferença foi bancada pelas próprias mulheres. Mais de 500 pijamas, rouparia para três meses, materiais para cirurgia, rolos de algodão, carrinhos de supermercado, conteiner industrial e até lixeiras foram adquiridas. A sensação de ver o hospital ganhando cara nova animou a todos:

— Com o dinheiro que entra, eles mal conseguem pagar os funcionários. O hospital foi criado com a ajuda de 143 famílias e eu penso assim: meu Deus, estamos com 70 mil habitantes. Será que ninguém pode fazer alguma coisa para salvar nosso hospital? E então nunca mais paramos de ajudar — revela a bancária.

Lourdes recebeu da Câmara de Vereadores o certificado Mulher Destaque 2017. Pudera: capitaneado por ela, o grupo é responsável por uma verdadeira revolução no hospital. A arrecadação de dinheiro ocorre com eventos, rifas, pedágios solidários e doações de empresas. Mais de uma vez, voluntárias decidiram bancar compras mais expressivas — a mais recente foi um guincho humano, que economizará o trabalho de seis enfermeiros para erguer algum doente obeso ou enfermo.

A saída encontrada pelas voluntárias não é encaminhar os recursos dos eventos ao hospital, mas gerir este dinheiro e comprar os itens mais urgentes e fazer reparos: alimentos para pacientes e familiares nos lanches, cortinas e TVs nos quartos, poltronas reformadas, pintura interna e revestimento, filtros para água e reforma completa no pronto-atendimento, que estava interditado pela Vigilância Sanitária. O último ganho é a reforma no telhado de todo hospital. Em dias de chuva, havia alagamentos, o que comprometia as internações.

— Nós ganhamos um carro do Grupo Feltrin e fizemos uma rifa com ele. Com este dinheiro, pagamos a reforma do telhado, que o hospital jamais teria verba para pagar. Até o trabalho do guincho, que seria caríssimo, conseguimos como doação. Tem gente que critica, mas nós pedimos: chega de reclamar e falar mal do hospital. Vamos trabalhar, fazer algo por ele — incentiva Lourdes. 

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comParceria com iniciativa privada permitiu estruturação do espaço no HG, em Caxias https://t.co/gdYSQdnaiv #pioneirohá 5 horas Retweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comHomem é encontrado morto, em Caxias do Sul https://t.co/ryVKfYIXlQ #pioneirohá 5 horas Retweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros