Memória: Revitalização da Vinícola Michelon  - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Empreendimento22/06/2017 | 14h31Atualizada em 22/06/2017 | 19h32

Memória: Revitalização da Vinícola Michelon 

Fabbrica, novo espaço que une entretenimento e gastronomia, recupera a estrutura da antiga Vinícola Michelon

"Descobrir as relações existentes entre passado e presente dá maior significado ao presente", diz Domenico de Masi. Atualmente, mais um marco do passado de Caxias do Sul ressurge no panorama da cidade, depois de anos de esquecimento. Trata-se da Fabbrica, empreendimento da Paris Administração, que recuperou partes antigas da antiga Vinícola Luiz Michelon, produtora dos vinhos Cruzeiro, instalada nas imediações da BR-116.

Foto: Acervo / Arquivo Histórico João Spadari Adami

Desde as primeiras décadas do século 20, a Michielon foi uma das grandes empresas vinícolas que impulsionaram a economia caxiense, entre os anos 1920 a 1970. Porém, em 1970, a vinícola foi vítima de uma crise que culminou em sua falência e encerramento de suas atividades sete anos depois, em 1977. 

No auge de sua expansão, a vinícola mantinha, como a maioria das vinícolas locais, além da elaboração de vinhos nobres e comuns, a produção de conhaques, sucos e espumantes.

A Michelon agregava também um complexo de outras atividades, como o cultivo de viníferas, vidraria, tanoaria e empalhação de garrafas e garrafões. Foi também uma das primeiras vinícolas a receber, sistematicamente, grupos de visitantes na sua adega, denominada Santa Tereza, localizada a poucos passos da entrada da Igreja Nossa Senhora de Lourdes. Na época, a empresa constatou que os visitantes desejavam conhecer e saborear, juntamente com seus vinhos, o espírito das colonizadoras da região. A vinícola contratou então o pintor e muralista Jorge Leitão, que executou três murais na ampla sala de degustação: A saída da Missa, A Casa do Colono e A vida na colônia.

Em 1941, a Michelon sofreu um incêndio que reduziu a cinzas seu setor de fabricação de recipientes em vidros. Ao reconstruí-la, o projetista e construtor Frederico Segalla projetou e construiu um amplo prédio de dois andares de alvenaria com tijolos aparentes, encimado por um longo lanternin, que o destacava no conjunto de prédios da empresa. 

A partir de 1960, a Michelon passou a adquirir os recipientes de que necessitava e instalou no prédio da vidraria um setor de curtição de peles, posteriormente alugando o espaço para a empresa Tapesul, em 1972.

Renovação e gastronomia

Foto: Jeferson Loch / Divulgação

Em 2002, o prédio foi objeto de uma solicitação de tombamento. Entretanto, a edificação foi considerada sem valor para preservação e o processo foi arquivado em 2004. Em 2014, a Paris Administração e Participações iniciou um projeto de três anos que resultaria na Fabbrica, um novo espaço que promete mesclar entretenimento e gastronomia, recuperando a estrutura da antiga Vinícola Michelon, em Lourdes, atrás da igreja. 

A reforma está quase concluída, e o empreendimento está marcado para inaugurar em breve.

Design

No dia 29 de junho, um novo grupo de profissionais será oficialmente lançado em Caxias do Sul: é a ADI — Associação de designers de interiores da Serra Gaúcha, que realizará um evento na Fabbrica.

Confira outras publicações da coluna Memória

Leia antigos conteúdos do blog Memória


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros