Memória: A sensibilidade do Pe. João Schiavo  - Geral - Pioneiro

Religião26/06/2017 | 10h00Atualizada em 26/06/2017 | 10h00

Memória: A sensibilidade do Pe. João Schiavo 

A criação do Abrigo de Menores revelou a grande influência de João Schiavo na construção de uma sociedade melhor

A trajetória do padre João Schiavo comprova que é possível transformar o ser humano com valores e princípios cristãos. O Memorial João Schiavo, localizado na Congregação das Murialdinas, em Fazenda Souza, permite conhecer a história de um religioso sensível na fraternidade, na caridade, preocupado com o futuro das crianças.

Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

O jornal Pioneiro, em sua edição de 29 de abril de 1950, relata o trabalho de João Schiavo na direção do Abrigo de Menores São José. Inaugurada em 1947, a instituição desenvolveu ações acolhedores junto às crianças necessitadas e desamparadas. Na época, a criação do Abrigo de Menores revelou a grande influência do sacerdote, capaz de agregar e mobilizar esforços comuns para construir uma sociedade humanitária.

A doação do prédio, que pertenceu ao Tiro De Guerra, foi uma contribuição de Euzébio Beltrão de Queiroz com a causa social. A casa passou a oferecer quartos de internato, escola e cursos profissionais para os meninos. Nos primórdios do projeto, agregaram esforços os empresários Vitorio Corsetti, Ângelo De Carli, Miguel Sehbe, Gastão Festugato, Virgilio Generosi, Irma Moroso, José de Souza e Bruna Dal Corso, além da Metalúrgica Eberle, de alunas do Colégio São José e do padre Mariano Bonato.

Na imagem acima, percebe-se o zelo da Congregação das Murialdinas para com o ambiente que traduz parte do legado de padre Schiavo.

Memorial religioso

Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

O acervo de peças que pertenceram ao padre Schiavo enriquece o entendimento de seu trabalho social. Retratos emblemáticos do religiosos estão expostos nas paredes. Em álbuns, é possível localizar a rotina diária na educação infantil desenvolvida junto aos meninos. Imagens de passeios recreativos mostram a importância de interagir nas fases da vida com valores próprios de cada idade. 

Na foto acima, percebe-se um dos paramentos do sacerdote italiano.

Documentação pessoal

Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Padre Schiavo abraçou a vida missionária. Abdicou da família na Itália para ajudar a construir um Brasil mais humano. Os desafios foram superados com fé, paciência e trabalho intenso. No ofício de professor ou na responsabilidade de solucionar problemas humanos, ergueu de forma pacífica ambientes educacionais. Na foto, o passaporte de Schiavo.

Schiavo no Brasil

Foto: Geremia / Agencia RBS

O italiano João Schiavo (08/07/1903-27/01/1967) chegou ao Brasil em setembro de 1931. Primeiramente permaneceu em Jaguarão (RS). Em seguida mudou-se para Ana Rech. Entre 1935/1936, trabalhou em Galópolis. Em 1937, retornou a Ana Rech, sendo diretor da Escola Rural Murialdo. Em 1941, fundou o seminário de Fazenda Souza. Colaborou ainda na constituição da Congregação das Murialdinas, em 1954. Em outubro próximo, será realizada a beatificação de João Schiavo.

Confira outras publicações da coluna Memória

Leia antigos conteúdos do blog Memória

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comAudiência pública sobre regulamentação do Uber será na segunda, em Caxias https://t.co/0n8iSCtB4L #pioneirohá 3 minutosRetweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comMulher que já esteve na lista das 10 brasileiras mais procuradas da Interpol foge de Presídio de Caxias https://t.co/lP4dPEY03P #pioneirohá 36 minutosRetweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros