Após justiça ordenar que voltasse para família, bebê deve ir para fila de adoção em São Francisco de Paula - Geral - Pioneiro

Polêmica28/06/2017 | 08h30Atualizada em 28/06/2017 | 16h22

Após justiça ordenar que voltasse para família, bebê deve ir para fila de adoção em São Francisco de Paula

Durante nove meses, bebê passou por quatro lares e foi alvo de briga judicial  

Após justiça ordenar que voltasse para família, bebê deve ir para fila de adoção em São Francisco de Paula Diogo Sallaberry/Agencia RBS
O caso foi mostrado pelo Pioneiro em abril. Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Após a Justiça ordenar que um bebê em São Francisco de Paula fosse devolvido à família biológica, o caso sofreu uma reviravolta: o Conselho Tutelar do município agora recomenda que a criança seja colocada para adoção por não ter condições de ficar com os pais. 

Leia mais:
Justiça ordena que criança retirada de família pobre de São Francisco de Paula retorne ao lar
Ocorrências policiais e investigações marcam caso de bebê retirado de família pobre em São Francisco de Paula

A situação do menino, retirado dos pais ainda no ano passado, motivou investigação e virou polêmica na cidade. Isto porque, em tempo recorde, foi retirado dos pais biológicos e encaminhado ao abrigo, além de ter vivido provisoriamente com duas famílias diferentes. Em abril, a criança foi devolvida à casa de acolhimento e iniciou-se o processo de aproximação com os pais biológicos. Eles foram avaliados pela equipe de Assistência Social da prefeitura. Em condições de vulnerabilidade social,  não se mostraram aptos a criar o filho e lhe garantir uma vida digna, segundo avaliação do Conselho Tutelar. 

— Estamos todos muito chateados, porque queríamos dar a oportunidade a estes pais de ficarem com o bebê, e não abrimos mão da justiça. Mas não houve progressão desta família para que pudesse ficar com a criança. Então, sugerimos que ela seja adotada, em um processo de adoção correto desta vez — afirma o conselheiro Leandro Diniz.

A decisão não é baseada nas condições financeiras da família biológica, assegura Diniz, mas, sim, em tópicos que vão desde a moradia até o comprometimento com a criança. Resta agora o parecer judicial que dará abertura ao processo de adoção. 

O caso foi mostrado pelo Pioneiro em abril. Devido ao fato de as duas famílias que tinham interesse na criança serem influentes em São Francisco de Paula, houve o envolvimento de servidores públicos e denúncias de abuso de autoridade. Essas condições são investigadas pela Polícia Civil. 

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros