Sob risco de ataque cibernético, INSS de Caxias do Sul cancela 400 atendimentos  - Geral - Pioneiro

Atenção15/05/2017 | 18h37Atualizada em 15/05/2017 | 18h37

Sob risco de ataque cibernético, INSS de Caxias do Sul cancela 400 atendimentos 

Previsão é que serviço normalize nesta terça

Sob risco de ataque cibernético, INSS de Caxias do Sul cancela 400 atendimentos  Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Quando retornou, o sistema permaneceu lento, o que impossibilitou o restabelecimento total das operações Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

O ataque cibernético mundial, que afetou empresas públicas e privadas de diversos países, também teve reflexos em Caxias do Sul. A suspeita de invasão dos hackers na rede de computadores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) cancelou nesta segunda-feira ao menos 400 atendimentos na agência do município. Como as invasões ocorreram, em princípio, por meio de e-mails com arquivos infectados por vírus, os servidores foram orientados a desligar os computadores para que a situação fosse verificada. Até o começo da tarde desta segunda, quando os equipamentos voltaram a operar, cerca de 50 perícias médicas e 50 agendamentos para outros serviços, como pensões e aposentadorias, haviam sido remarcados. Porém, o sistema permaneceu lento, o que impossibilitou o restabelecimento total das operações.

— Como não tínhamos a certeza de que os nossos computadores haviam sido invadidos, não podíamos ligar os equipamentos. Foi uma medida de precaução e todos os atendimentos que não ocorreram foram reagendados. Mas, acreditamos que somente nesta terça o atendimento será normalizado, devido à lentidão do sistema — afirma Vilson Dutra, gerente executivo substituto da agência de Caxias, que atende diariamente entre 600 e 700 pessoas.

Recentemente, outros ataques semelhantes, que ocorrem por meio de uma armadilha online que, ao ser acionada, criptografa os dados da rede atacada e impede o acesso do usuário, prejudicou empresas e entidades da Serra, que tiveram seus banco de dados bloqueados por criminosos virtuais: pelos menos 23 casos foram identificados desde o início do ano. Esse tipo de ação, conforme o perito em computação forense e hacker ético, Petter Anderson Lopes, da Metadados, impacta diretamente no faturamento das instituições.

— É um ataque aleatório e que normalmente não possui um alvo específico. A empresa que tiver mais vulnerabilidade pode ter a perda total das informações ou demorar mais tempo para conseguir recuperar os arquivos. Esse tempo sem os dados significa, muitas vezes, um descontrole financeiro, já que atrasa pagamentos de fornecedores — explica Lopes.

Para devolver as informações, os hackers cobram uma transferência de dinheiro em bitcoin (moeda eletrônica para dificultar o rastreamento da transação pelos investigadores). Por isso, mesmo sem um alvo específico, optam por direcionar o vírus a grandes empresas e entidades: neste último ciberataque, sites da Petrobras, Itamaraty, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Ministério Público de São Paulo e Tribunais da Justiça de vários Estados ficaram fora do ar. Mesmo assim, nada impede que os criminosos utilizem essa metodologia para atacar usuários particulares e instituições de menor porte.

— Infelizmente, poucas empresas da Serra têm esse cuidado e, num novo ataque, algumas poderiam sofrer as consequências disso. Hoje em dia, não se pode mais confiar apenas no antivírus, pois os ataques estão sendo operados em larga escala. Os hackers agem unicamente para extorquir as empresas e, quanto mais seguro os dados estiverem, menos chances de a empresa cair no golpe —ressalta o especialista.

DICAS DE SEGURANÇA

Para evitar ataques, o conselho básico é o mesmo utilizado para as diversas ameaças da internet: não clicar em links e e-mails de procedência duvidosa. A segunda recomendação é a criação de uma cópia de segurança, o backup. A estratégia não irá evitar a "infecção" das informações, porém reduzirá a quantidade de dados perdidos. Outra saída é utilizar um HD externo, sem conexão com a internet, para guardar aquivos mais importantes. Confira outras dicas:

:: Bloquear redes sociais na empresa.
:: Não conectar o celular no computador por cabos USB.
:: Não conectar pendrives.
:: Fazer um backup diário. Este backup não pode ter conexão com as rede e os computadores da empresa
:: Todos computadores da rede devem ter senhas de acesso complexas (com letras e números, assim a "infecção" não se espalha).
:: Evitar redes de wi-fi não conhecidas.
:: Antivirus não são totalmente eficientes contra esta ameaça.
:: Dados na nuvem também podem ser atacados.
:: O primeiro sinal do ataque é o computador ficar extremamente lento subitamente e não responder aos comandos (principalmente se ocorrer após clicar em um link duvidoso).
:: Ao desconfiar que está sendo alvo de um ataque, desligue todos os computadores da rede e não ligue novamente.
:: Sistemas Linux e Mac são imunes a estes ataques.

Saiba mais

Informações sobre o atendimento na agência podem ser consultadas pelo telefone (54) 3535.3110 e 3535.3141.

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comFeirão de Imóveis oferece oportunidade de negócios em Caxias do Sul https://t.co/9LMaVur2Iy #pioneirohá 3 horas Retweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comPedro Guerra: O enterro do CNPJ https://t.co/NqkBpkxnw2 #pioneirohá 3 horas Retweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros