Conclusão da BR-285 geraria economia de R$ 221 milhões ao RS, SC e Argentina - Geral - Pioneiro

Rodovia08/05/2017 | 14h54Atualizada em 08/05/2017 | 14h54

Conclusão da BR-285 geraria economia de R$ 221 milhões ao RS, SC e Argentina

Faltam oito quilômetros para a conclusão do lado gaúcho da rodovia

Conclusão da BR-285 geraria economia de R$ 221 milhões ao RS, SC e Argentina Maurício Vieira/Agencia RBS
Foto: Maurício Vieira / Agencia RBS

A conclusão da BR-285, na região de São José dos Ausentes, na Serra, poderia gerar uma economia de R$ 221,5 milhões ao Rio Grande do Sul, a Santa Catarina e à Argentina. É o que aponta um levantamento realizado pela Câmara de Vereadores de Vacaria. As informações são da Gaúcha Serra

Leia mais: 
Apesar de licitação para compra de vagas na educação infantil, Caxias descumprirá meta do PNE
Justiça nega pedido da prefeitura de Caxias sobre ilegalidade da greve dos médicos


De acordo com Jaziel de Aguiar Pereira, ex-vereador do município e coordenador do Grupo da BR-285, que defende o término da estrada, com a rodovia completamente pavimentada, o escoamento da produção até os portos catarinenses poderia ser encurtada. Atualmente, a maior parte da carga precisa ser deslocada via Lages ou até mesmo pela BR-386, dependendo do destino. Os setores mais prejudicados, segundo ele, são a maçã, a madeira, o arroz e a cerâmica, além do turismo.

O deslocamento de argentinos também acaba prejudicado porque os veículos que entram na fronteira oeste precisam adotar outros caminhos para chegar ao litoral catarinense. A estimativa do estudo, é que, somados, os caminhões que escoam a produção das cidades que dependem da estrada percorram 39 milhões de quilômetros para desviar do trecho inconcluso.

No lado gaúcho, faltam apenas oito quilômetros, uma ponte e dois viadutos. O valor é estimado em R$ 75 milhões. Já no lado catarinense, as obras da rodovia estão em andamento na chamada Serra da Rocinha, entre São José dos Ausentes e Timbé do Sul.

Na manhã desta segunda, a Assembleia Legislativa do Estado lançou uma frente parlamentar para obter os recursos para as obras no lado gaúcho. A intenção é conseguir o dinheiro via emendas parlamentares. As obras no trecho foram paralisadas em 2014.

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros