Ataque a carro-forte deixa dois feridos, BR-116 bloqueada e dinheiro espalhado no asfalto - Geral - Pioneiro

Trânsito e violência08/05/2017 | 20h26Atualizada em 09/05/2017 | 14h31

Ataque a carro-forte deixa dois feridos, BR-116 bloqueada e dinheiro espalhado no asfalto

Rodovia só foi liberada por volta de 1h30min. Criminosos ainda não foram localizados, de acordo com a Polícia Civil e a Brigada Militar

Ataque a carro-forte deixa dois feridos, BR-116 bloqueada e dinheiro espalhado no asfalto Porthus Junior/Agencia RBS
 Os ladrões interceptaram um blindado da Prosegur no Km 170 Foto: Porthus Junior / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

Bandidos transformaram a BR-116 em cenário de guerra durante um ataque a um carro-forte, no início da noite de segunda-feira. Os ladrões interceptaram um blindado da Prosegur no km 170, cerca de dois quilômetros antes sede do Distrito de Vila Cristina, em Caxias do Sul. Adroaldo Pinheiro, 60 anos, que passava pelo local na hora do assalto, levou um tiro na perna e foi socorrido até o Hospital Pompéia. Ele e outra pessoa, que também foi atingida mas ainda não está identificada, não correm risco de vida. A pista só foi liberada completamente por volta de 1h30, e os bandidos conseguiram fugir.

Conforme a polícia, parte da quadrilha estava numa caminhonete Renault Duster, que seguia o carro-forte no sentido Nova Petrópolis-Caxias. Um segundo blindado da Prosegur estava logo atrás. Os dois veículos da empresa de segurança se deslocavam para Caxias do Sul. Contudo, quando perceberam que poderiam ser atacados, os seguranças decidiram retornar pela rodovia no sentido Caxias-Nova Petrópolis.

Perto de uma curva, os assaltantes usaram a Duster e outro carro para cortar a frente do primeiro blindado e fizeram vários disparos — há suspeita de que os bandidos usaram munição calibre .50, que tem poder de derrubar um avião. Os seguranças foram retirados do veículo e os assaltantes usaram explosivos para romper o cofre. A Duster também foi incinerada pelo bando, que fugiu em seguida em dois carros. 

A quadrilha deixou pelo menos seis quilos de dinamite no local, que foram removidos pelo Grupo de Ações Táticas Especiais da Brigada Militar (Gate) ainda nesta noite. Segundo testemunhas, o blindado foi alvo de pelo menos quatro explosões e muito dinheiro queimado ficou espalhado pela rodovia. 

Há muito dinheiro queimado no chão Foto: Polícia Rodoviária Federal / Divulgação

Pessoas que moram às margens da rodovia e condutores de veículo também relataram tiros. Uma jovem que retornava de Nova Petrópolis foi surpreendida com a movimentação perto do Posto Fagundes, dois quilômetros antes do ponto do ataque.

— Quando chegamos em uma banca, todo mundo parou e começamos a sentir um cheiro de pneu queimado. Um homem ligou para a polícia e avisou que dois caras desceram em um carro preto. Um pouco antes disso, ouvimos dois tiros. Eram tiros que vinham de longe — relata a jovem, que pediu para não ser identificada.

Policiais de Caxias e região seguem envolvidos na busca aos criminosos. A Brigada Militar pede que moradores fiquem atentos e denunciem pelo 190, já que os assaltantes podem estar escondidos em matagais próximos à rodovia.

Com trânsito bloqueado, a polícia orienta utilizar a Estrada do Imigrante.  Foto: Polícia Rodoviária Federal / Divulgação


O trânsito:

Com trânsito bloqueado no local do assalto, a polícia orientou a utilização a Estrada do Imigrante, que liga Vila Cristina à zona sul de Caxias. Motoristas de Caxias do Sul que precisaram se deslocar até Nova Petrópolis ou Gramado deviam seguir até a Rua Júlio Callegari, no bairro Esplanada, e depois ir em direção à localidade da Terceira Légua. Era possível acessar a Estrada do Imigrante, que desemboca na ERS-452, em Vila Cristina. 

Quem precisou se deslocar de Nova Petrópolis até Caxias podia virar à esquerda no trevo da BR-116 com a ERS-452, seguir no sentido de Vale Real por pouco mais de um quilômetro e dobrar à direita para pegar a Estrada do Imigrante.

 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros