Memória: a trajetória da família Oro - Geral - Pioneiro

Encontro05/04/2017 | 10h00Atualizada em 05/04/2017 | 10h01

Memória: a trajetória da família Oro

A primeira família Oro a chegar ao Estado foi a de Domênico Oro e Angela Pavan, em 1886

Memória: a trajetória da família Oro Acerto pessoal família Oro/Divulgação
Vincenzo e Elizabeta casaram-se em 1905 e tiveram juntos 14 filhos Foto: Acerto pessoal família Oro / Divulgação

Em 1470, Frederich Honraich e seu filho Frederich Henrich chegaram à pequena localidade de Foza, município de Altopiano Dei Sette Comuni, na província de Vicenza, Vêneto, na Itália. Lá, Henrich teve dois filhos: Clemente, que deu origem à família Chiamento, e Vincenzo, que deu origem à família Oro.

No início, o nome Henrich foi se modificando para Hoinrich, depois para Horro, mais tarde para Horo, até evoluir para Oro, em 1667, como segue até hoje.Posteriormente, diversas famílias da região de Foza, Itália, migraram, devido à falta de condições, para diversas partes do mundo, incluindo vários estados brasileiros.

Leia mais
Encontro da família Braz em Cambará do Sul
Encontro da família Barcarollo em Galópolis

Linhagens do clã no Rio Grande do Sul

Gíacomo Oro e esposa Theresa foram um dos primeiros familiares a chegarem no Rio Grande do Sul Foto: Acerto pessoal família Oro / Divulgação

A primeira família Oro a chegar ao Estado foi a de Domênico Oro e Angela Pavan, em 1886. Eles trouxeram consigo quatro filhos: Verônica, Giácomo, Girôlamo e Alexandro. Eles cresceram e formaram suas famílias. 

Em final de novembro de 1887, Carolina Isolato Oro imigrou da Itália para o Rio Grande do Sul dentro de um navio, com seus cinco filhos: Vincenzo, Pietro, Ferdinando, Luigi e Carlo, além da enteada Ermínia, então com 26 anos. Ela era casada com Giovanni Batista Oro, pai de seus cinco filhos.

Carolina chegou ao Brasil na véspera de Natal de 1887, estabelecendo-se na localidade de Monte Vêneto (atual Cotiporã, ex-Alfredo Chaves). 

Vincenzo Antônio nasceu em 1870 e casou-se, aos 34 anos, com Elizabeta Pollo em 1905, aos 24 anos. O casal teve 14 filhos.

Pietro, nascido em 1872, afogou-se no Rio das Antas, em 1898, com 26 anos.

Ferdinando nasceu em 1874 e casou-se em 1904 com Clara Mohr. O casal teve 11 filhos.

Luigi nasceu em 1876, não constituiu família e morreu em 1930, na linha primeira de São Domingos do Sul.

Carlo nasceu em 1882 e casou-se com Rosa Romani em 1905, em Cotiporã. Tiveram 12 filhos.

Quarto encontro anual da família Oro

Foto de um dos encontros da família Oro no Brasil, em Foz do Iguaçu Foto: Acerto pessoal família Oro / Divulgação

Em 30 de abril, ocorrerá o 11º encontro da família Oro, no CTG Charrua, em Vila A, Foz do Iguaçu (PR). Na ocasião, será realizado o lançamento da 2ª edição revisada e atualizada do livro Família Oro, do Norte da Itália ao Sul do Brasil, dos autores Eliseu Oro e Dirceu Oro, com 300 páginas e mais de 6 mil nomes de familiares. 

O evento contará com integrantes de todo o mundo. Interessados em participar devem entrar em contato com Marisete Oro, pelo telefone (45) 9.9921.7879.

Em 2001, a família Oro reuniu-se em Foza, na Itália, local de origem dos primeiros integrantes da família Foto: Acerto pessoal família Oro / Divulgação

MAIS

As informações desta coluna foram uma contribuição de Vivaldo Oro, neto de Vicente Antônio Oro.

Confira outras publicações da coluna Memória

Leia antigos conteúdos do blog Memória

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comEstacionamento na Avenida Rio Branco volta a operar em Caxias https://t.co/s6RxA2Xnx1 #pioneirohá 48 minutosRetweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comPolícia prende suspeito de assassinar comerciante em Caxias do Sul https://t.co/AWriSk9miy #pioneirohá 1 horaRetweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros