Padres na história da igreja de Galópolis - Geral - Pioneiro

Memória03/01/2017 | 10h00Atualizada em 03/01/2017 | 10h00

Padres na história da igreja de Galópolis

Inaugurada em março de 1947, a igreja teve como primeiro sacerdote o padre Ângelo Mugnol

Padres na história da igreja de Galópolis Foto Muner/Divulgação
A comissão da igreja em janeiro de 1973, assim constituída: Feliciano Nunes, Hélio Giovanella, Agostino Fontana, Orlando Adamatti, Armando Barazetti e Raimundo Forner (atrás); Pedro Matté, Waldemar Sirena, Angelo Toniolli, Padre Bridi e o casal Antonio e Gentile Felippi (à frente). Foto: Foto Muner / Divulgação

A Igreja Nossa Senhora do Rosário de Pompéia, localizada em  Galópolis, está mobilizada  diante da programação festiva de seus 70 anos de fundação. Em seu histórico, destaca-se o zeloso  trabalho de vários padres que contribuíram com a vida espiritual na paróquia. Inaugurada em março de 1947, a igreja teve como primeiro sacerdote o padre Ângelo Mugnol. Desde então, 14 religiosos atuaram na comunidade.

Entre estes personagens, evidencia-se o padre Félix Bridi (1922-2005), que trabalhou no período de 1972 a 1974. Bridi nasceu em Galópolis e ingressou no ministério presbiteral, servindo a Congregação dos Padres Josefinos de Murialdo. Foi ordenado por Dom Benedito Zorzi, em Galópolis, no dia 04 de janeiro de 1953.

Na imagem que abre a reportagem, percebe-se a comissão da igreja em janeiro de 1973, assim constituída: Feliciano Nunes, Hélio Giovanella, Agostino Fontana, Orlando Adamatti, Armando Barazetti e Raimundo Forner (atrás); Pedro Matté, Waldemar Sirena, Angelo Toniolli, Padre Bridi e o casal Antonio e Gentile Felippi (à frente).

Confira outras publicações da coluna Memória


Conforme Agostino Fontana, 80 anos, este grupo auxiliava o padre nas atividades religiosas, culturais e administrativas.  Bridi foi o primeiro filho de Galópolis a assumir a igreja. Padre Sérgio Nicoletti foi o segundo, ocupando a função no período de 1981 a 1984.

Padre Adelino Schneider

O padre Adelino Jacó Schneider, nascido em Nova Palmira, ordenado em dezembro de 1951, trabalhou em Galópolis entre 1964 e 1972.  Schneider foi que celebrou a cerimônia religiosa do casal Antonio Rigon e Marieta Mazzochini em maio de 1964. Abaixo, um registro de padre Schneider cumprimentando Nilo, Anselmo, Osvaldo e Marciano, filhos do casal Rigon.

Padre Schneider cumprimenta Nilo, Anselmo, Osvaldo e Marciano, filhos do casal Rigon. Foto: Foto Muner / Divulgação

O religioso Cláudio Pezzoli

Mais recentemente,  Galópolis teve o privilégio de conhecer o trabalho de Cláudio José Pezzoli.  Claudio foi ordenado em março de 1985 por Dom Paulo Moretto. 

Na imagem registrada em novembro de 2004, abaixo, Pezzoli está com o grupo de crianças que celebraram a primeira comunhão. Naquele ano,  padre Cláudio e a comissão  da paróquia organizaram a reforma e pintura da igreja em tons verde. Hoje, o religioso exerce a função de capelão no Hospital Pompéia.

Foto: Foto Alencar / Divulgação

Desafio

Suzana Sirena Dalpan, atual coordenadora da catequese em Galópolis, desenvolveu uma gincana junto aos catequizandos. Entre novembro e julho, será solicitado a realização de  tarefas variadas.

Para abril, os alunos deverão apresentar o jornal mais antigo que contenha reportagem da igreja.

Leia antigos conteúdos do Blog Memória

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comA primeira-dama que quer integrar os imigrantes negros a Caxias do Sul https://t.co/n7aXskkoAF #pioneirohá 1 horaRetweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comFascínios da Vindima proporciona experiências em vinícolas familiares de Bento Gonçalves https://t.co/a3TByBYnZJ #pioneirohá 2 horas Retweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros