Remoção de casas no Vila Amélia II, em Caxias do Sul, é concluída de forma pacífica - Geral - Pioneiro

Habitação27/11/2016 | 16h24Atualizada em 27/11/2016 | 16h24

Remoção de casas no Vila Amélia II, em Caxias do Sul, é concluída de forma pacífica

Última moradia erguida em terreno particular foi removida no sábado

Remoção de casas no Vila Amélia II, em Caxias do Sul, é concluída de forma pacífica André Calai/divulgação
Casas estavam sendo retiradas de invasão desde a segunda-feira passada Foto: André Calai / divulgação
Pioneiro
Pioneiro

Uma das maiores operações dos últimos anos em área invadida em Caxias do Sul terminou no sábado. A única casa que ainda restava em terreno particular no loteamento Vila Amélia II, região do Desvio Rizzo, foi demolida por uma escavadeira de esteira. 

Leia mais:
Famílias do Vila Amélia II tentam ocupar área pública no bairro Villagio Iguatemi em Caxias
Grande operação marcará remoção de casas de área invadida em Caxias do Sul
Levantamento apontará quantas famílias invadiram terreno particular no Vila Amélia, em Caxias do Sul
Moradores protestam no loteamento Vila Amélia, em Caxias do Sul

A ação durou seis dias e resultou na remoção total de 21 casas e no recuo de muros e paredes de outras 80 moradias. Os espaços até então ocupados por moradias foram preenchidos por pedras, pois o objetivo é evitar novas invasões.

Segundo o líder comunitário Dirlei Silveira da Rosa, as famílias que perderam tudo estão sendo atendidas pela Fundação de Assistência Social (FAS).

— A maioria está com aluguel social. É triste, tentamos durante anos resolver isso e não conseguimos — lamenta.

A operação foi coordenada pelo oficial de Justiça André Calai. Segundo ele, ainda falta intervir em cinco casas de alvenaria. Esses imóveis receberam uma marcação vermelha no ponto exato onde haverá a demolição parcial.

— Essas moradias serão cortadas, mas antes precisam receber um suporte para não desabarem. Esse trabalho será feito por engenheiros da empresa dona do terreno particular — explica Calai.

A disputa no Vila Amélia II durou quase 10 anos. Em 2011, saiu a sentença definitiva que determinou a reintegração de posse. A área de invasão tem quase 1 quilômetro de extensão e margeia os trilhos da antiga ferrovia. Com a operação na área particular, as casas agora estão assentadas apenas sobre terreno que pertence à União. 

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.com"Quem fala pela transição não é o vice, é a coordenação-geral", diz prefeito eleito de Caxias do Sul https://t.co/jEpP5ESH1f #pioneirohá 6 horas Retweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comVice-prefeito eleito de Caxias pede desfiliação do PRB https://t.co/s9pmLLKOiy #pioneirohá 8 horas Retweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros