Mais de cem mil pessoas no Brasil vivem com HIV e não sabem, diz Ministério da Saúde - Geral - Pioneiro

Saúde30/11/2016 | 13h10Atualizada em 30/11/2016 | 16h18

Mais de cem mil pessoas no Brasil vivem com HIV e não sabem, diz Ministério da Saúde

Boletim sobre a aids com dados mais recentes mostra que a doença avança em todas as faixas no público masculino jovem

Mais de cem mil pessoas no Brasil vivem com HIV e não sabem, diz Ministério da Saúde Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS
Estadão Conteúdo e Agência Brasil

Estimativa divulgada nesta quarta-feira pelo Ministério da Saúde revela que cerca de 112 mil pessoas vivem com HIV no Brasil e não sabem. Boletim sobre a aids com dados mais recentes mostra que a doença avança em todas as faixas no público masculino jovem. Enquanto, em 2006, a razão era de 1 caso em mulher para cada 1,2 caso em homens, em 2015, o cenário passou a ser 1 caso em mulher para cada 3 casos em homens.

Entre a faixa etária de 20 a 24 anos, a taxa de detecção do vírus dobrou entre 2005 e 2015, passando de 16,2 casos por 100 mil habitantes para 33,1 casos por 100 mil.

Leia mais
Vacina contra o HIV começa a ser testada na África do Sul
Por que RS e Porto Alegre lideram as estatísticas da aids no país
Ministério da Saúde anuncia novo medicamento para o tratamento do HIV

Além disso, os casos em mulheres apresentam queda em todas as faixas etárias, sobretudo entre as que têm de 25 a 29 anos. Em 2005, eram 32 casos para cada 100 mil habitantes. Em 2015, esse número chegou a 16 casos por 100 mil habitantes. 

Vulnerabilidade

Os números mostram que jovens de 18 a 24 anos permanecem como o grupo mais vulnerável em meio à epidemia no país. Apesar do diagnóstico tardio ser menor nessa faixa etária, entre os que são soropositivos, 74% buscaram algum serviço de saúde, apenas 57% estão em tratamento e 47% tiveram carga viral suprimida.

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, avaliou que os jovens, de modo geral, não mantêm o hábito de frequentar unidades de saúde. Ele lembrou que o grupo é "de difícil convencimento", por exemplo, quando o assunto é vacinação.

– Eles se acham saudáveis e são mesmo. Mas não sentem que precisam ir ao posto de saúde se proteger. Mesmo nas campanhas para vacinação nas escolas, a recusa é muito grande – completou.

O Dia Mundial de Luta contra a Aids será celebrado nesta quarta-feira, 1° de dezembro.


 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comPioneiro Esportes https://t.co/GednbwUZOP #pioneirohá 40 minutosRetweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comEscola da Serra estimula sucessão familiar nas propriedades rurais https://t.co/7RO3oNjbGY #pioneirohá 5 horas Retweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros