Manobra de piloto de helicóptero impediu tragédia em Canela - Geral - Pioneiro

Acidente13/10/2016 | 21h37Atualizada em 13/10/2016 | 21h37

Manobra de piloto de helicóptero impediu tragédia em Canela

Leandro Gaudino Leal percebeu a pane a cerca de 300 metros do aeroporto da cidade

Manobra de piloto de helicóptero impediu tragédia em Canela Filipe Rocha/Folha de Canela,divulgação
Feridos foram levados para hospital da cidade Foto: Filipe Rocha / Folha de Canela,divulgação
Pioneiro
Pioneiro

Embora a Aeronáutica ainda prefira não relacionar a sobrevivência de três ocupantes que estavam num helicóptero que caiu em Canela a uma questão de sorte ou a uma habilidade do piloto, é fato que as consequências poderiam ter sido graves não apenas para a tripulação como para os vizinhos do local onde ocorreu o acidente, por volta das 12h30min de ontem.

A aeronave pilotada por Leandro Gaudino Leal, 40 anos, despencou sobre um terreno vazio rodeado de moradias, no bairro São José. Na carona, estavam o mecânico de veículos Carlos Alberto Rockenbach Dias, 45, e o outro passageiro Lucas Campos Pinheiro, 25. O helicóptero ficou destruído, mas dois deles sofreram ferimentos leves. Dias, por sua vez, teve lesões no rosto e seria transferido para um hospital de Porto Alegre ainda na noite desta quinta-feira. Pinheiro e Leal receberam alta.

Leia mais
Identificado homem encontrado morto em carro em Caxias do Sul
Buscas a jovem que sumiu em rio de Flores da Cunha serão retomadas nesta quinta-feira 

Piloto experiente, Leal percebeu a pane quando estava a cerca de 300 metros do aeroporto de Canela, onde pretendia pousar. Numa manobra de emergência, conseguiu desviar de casas e prédios para prevenir maiores estragos e salvar vidas. O helicóptero virou de lado sobre um terreno descampado ao lado da pista do aeroporto. Em seguida, as pás da hélice tocaram o chão. Com o impacto, a aeronave rodopiou e tombou sobre um banhado, o que pode ter amortecido a queda. 

Os três homens saíram sozinhos da cabine retorcida. Em pouco tempo, foram cercados por dezenas de curiosos. Dali, dois seguiram para o hospital da cidade em ambulâncias. Um deles não recebeu atendimento na hora, mas procurou por conta própria para o médico.

Helicóptero saiu de Eldorado do Sul com três pessoas Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

A aeronave é de propriedade da Frisonfly, empresa de Porto Alegre que havia sido contratada para transportar Dias e Pinheiro. O trio saiu de Eldorado do Sul com destino a Canela. Pinheiro e Dias pretendiam desembarcar no aeroporto da cidade serrana, de onde seguiriam para o Hotel Pampas, onde ocorre o 1º Encontro Sul Americano Amigos Land Rover, a poucos metros do ponto do acidente.

A capitã do Serviço Regional de Investigação de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) do V Comando Aéreo Regional (Comar), Camila Bolzan, esteve em Canela para apurar as causas da queda. A oficial diz que Os destroços serão removidos nos próximos dias para uma base, onde serão analisados.

— Acidentes de helicóptero são sempre muito complexos. Não dá para saber o que ocorreu. Também é difícil medir o que poderia ter ocorrido se tivesse caído em outro local. Leva tempo para a conclusão da investigação — pondera.

O dono da Frisonfly, Alcindo Frison, garante que a manutenção do helicóptero estava em dia. A aeronave é um modelo Robison R-44, fabricado em 2000.

— O ano é esse, mas os equipamentos são trocados sempre, o que faz dela uma aeronave renovada — explica o empresário.

O aparelho não tinha seguro e o prejuízo estimado é de mais de R$ 1 milhão.

_ Vou conseguir aproveitar algumas peças. Felizmente, o piloto e passageiros estão bem _ diz Frison.

A investigação da Aeronáutica deve levar 180 dias.

A reportagem não conseguiu conversar com os ocupantes do helicóptero, que estavam em atendimento médico.

 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros