Bordignon e Cia: uma linha de transporte - Geral - Pioneiro

Memória03/10/2016 | 11h49Atualizada em 03/10/2016 | 13h00

Bordignon e Cia: uma linha de transporte

Pedro Roberto Bordignon foi um dos responsáveis pela chegada do ônibus em Caxias

Bordignon e Cia: uma linha de transporte Acervo pessoal de Idílio Bordignon/Divulgação
 Ônibus transportava passageiros de Caxias até Erechim, passando também por cidades como Bento Gonçalves e Garibaldi Foto: Acervo pessoal de Idílio Bordignon / Divulgação

Nascido em 29 de julho de 1898, em Nova Prata, Pedro Roberto Bordignon foi um dos responsáveis pela linha de ônibus que transportava passageiros de Caxias do Sul até Jose Bonifácio — como a cidade de Erechim também era conhecida — nos anos 1930 e 1940. Foi no município localizado ao norte do Estado que, em 1937, Pedro adquiriu um caminhão da marca Ford. Antes de chegar a Caxias, o veículo foi levado de trem para Veranópolis, onde recebeu uma carroceria e transformou-se em um ônibus. 

Da ideia de Pedro de criar uma linha de transporte em Caxias, surgiu a Bordignon e Cia. Já em 1938, em sociedade com o primo Reinaldo Picolli, o motorista comprou um veículo maior (foto acima), que saía de Caxias e seguia até Jose Bonifácio, passando por cidades como Bento Gonçalves e Garibaldi.

— O ônibus não seguia uma rota certa, ia pegando as pessoas que estavam nas paradas —  lembra o filho Idílio.

Em uma de suas muitas viagens de carreta, transportando madeira de Nova Prata até o Rio das Antas, Pedro conheceu a esposa, Druziana Suzana Fiori, natural de Vila Flores, com quem viveu por quase 60 anos. Desta união nasceram os filhos Idílio, Danilo, Syrio, Fiorelo e Elídio. Com a colaboração de Caren Bordignon   

Leia mais
Ônibus Romeu e Julieta, um clássico do transporte coletivo
Há 30 anos: o início das operações da Visate
Transporte coletivo na década de 1970

Pedro e Druziana (à direita) com uma parente da família em frente à antiga casa do casal, no bairro Exposição Foto: Acervo pessoal de Idílio Bordignon / Divulgação

A família

Antes de residir em Caxias do Sul, a família viveu em Nova Prata e Erechim. Em 1947, após deixar a sociedade da empresa de transportes, o "nonno", como era chamado, abriu um armazém de secos e molhados na Rua Alfredo Chaves, entre a Av. Júlio de Castilhos e a Pinheiro Machado, onde morava com a família. 

— Eu entregava os ranchos com uma carroça guiada por uma mula — recorda Idílio, hoje com 85 anos.

Posteriormente, a família mudou-se para o bairro Antunes, atual Exposição, na casa onde atualmente reside uma neta do casal, em frente à igreja Cristo Redentor. Antes de se aposentar, Pedro também atuou como motorista de táxi. Ele faleceu em 1988, aos 90 anos. 

Confira outras publicações da coluna Memória

Leia antigos conteúdos do blog Memória

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comApós repercussão, organizadores desistem de pancadaria no Dia do Soco, em Caxias https://t.co/8UtQmQG3SB #pioneirohá 10 horas Retweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comPioneiro Esportes https://t.co/u511DH3PIJ #pioneirohá 12 horas Retweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros