A trajetória do jogador Paulinho Patê - Geral - Pioneiro

Memória18/10/2016 | 13h04Atualizada em 18/10/2016 | 13h04

A trajetória do jogador Paulinho Patê

Atleta atuou em clubes de Caxias de 1970 a 1976. Após, trabalhou como treinador

A trajetória do jogador Paulinho Patê Acervo de Lourival Oliveira Pereira/Divulgação
Time do Grêmio Esportivo Flamengo em 1970. Paulinho é o primeiro em pé, da esquerda para a direita Foto: Acervo de Lourival Oliveira Pereira / Divulgação

Natural de Porto Alegre, Paulo Oliveira Pereira, o Paulinho, foi uma personalidade muito importante na história do futebol caxiense. Ele mudou-se para Caxias do Sul em 1970, quando foi contratado para jogar no Grêmio Esportivo Flamengo (atual SER Caxias). Antes disso, o jogador iniciou sua carreira nos juvenis do Sport Club Internacional de Porto Alegre, juntamente com atletas como Bráulio e Claudiomiro. Após, foi cedido ao Cachoeira Futebol Clube, de Cachoeira do Sul, onde atuou de 1965 até 1969, sendo eleito o melhor 4º zagueiro da segunda divisão gaúcha. Em 1969 também passou pelo Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, jogando como lateral-esquerdo.

De 1970 a 1976, ocupou a vaga de lateral-esquerdo do Grêmio Esportivo Flamengo. Durante esse tempo, o time passou a chamar-se Associação Caxias (resultado de uma fusão entre Flamengo e Juventude) e, posteriormente, em 1976, SER. Caxias — denominação que leva até hoje. Além dele, apenas Segatto e Bagatini atuaram nos três clubes.

A trajetória de Paulinho como jogador de futebol encerrou no Esporte Clube Internacional de Lajes, onde disputou o Campeonato Catarinense de 1976. No ano seguinte, o ex-jogador deu início à carreira de treinador dos juniores da SER Caxias. Paulinho foi o primeiro técnico de Tite, hoje comandante da Seleção Brasileira. Nesta função também passou por times como o Esporte Clube Juventude, Esportivo de Bento Gonçalves, Novo Hamburgo e Aimoré, além da Seleção Gaúcha de Juniores. 

Paulinho (primeiro à esquerda) foi Técnico de Tite (sexto, em pé, da esquerda para a direita) na base do Caxias no final da década de 1970 Foto: Acervo de Lourival Oliveira Pereira / Divulgação

Já no profissional, Paulinho esteve à frente de equipes gaúchas como SER Caxias, São Paulo de Rio Grande, São Luiz de Ijuí, Pratense e Brasil de Farroupilha. O treinador também comandou times de estados como Santa Catarina, Paraná e São Paulo. Após largar a profissão de técnico, Paulinho fundou a escolinha Paulo Oliveira. O time de base era conveniado ao Grêmio e encaminhava meninos para testes em Porto Alegre.

Paulinho faleceu em Caxias do Sul no último dia sete de outubro, aos 72 anos. O ex-jogador deixou a esposa Liege, os filhos Tatiane e Paulo André e os netos Taiane e Cauê, além de cinco irmãos e 10 sobrinhos. 

Leia mais
Os 50 anos da Liga Caxiense de Futebol de Mesa
Futebol amador caxiense em 1977
Grêmio Esportivo Flamengo, Inter e um corte de cabelo em 1958
Felipão em Arroio do Sal nos anos 1970

Registro de Paulinho em um lance no jogo contra o Grêmio Foto: Acervo de Lourival Oliveira Pereira / Divulgação

Atleta exemplar

Em 1973, Paulinho Patê, como era conhecido no meio futebolístico, recebeu o prêmio Belfort Duarte no programa Flávio Cavalcanti. O reconhecimento era destinado aos jogadores de futebol que atingissem ao menos duzentos jogos oficiais sem sofrer expulsões. 

Confira outras publicações da coluna Memória

Leia antigos conteúdos do blog Memória


 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros