Conjunto musical Os Pedreiros em 1967 - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Memória03/09/2016 | 06h27Atualizada em 05/09/2016 | 09h24

Conjunto musical Os Pedreiros em 1967

No período auge da Jovem Guarda, apresentações do grupo lotavam os clubes Juventude, Juvenil, Guarany, Roda Viva e Recreio Rodoviário

Conjunto musical Os Pedreiros em 1967 Studio Geremia/Acervo pessoal de Eloy Teixeira,divulgação
Os Pedreiros em 1967: em pé, Nery Rodrigues (baixo), Geri Marchioro (bateria) e Mario Hermes (sax). Agachados, Luiz Fernando Horn e Eloy Teixeira, o Paco (guitarras) Foto: Studio Geremia / Acervo pessoal de Eloy Teixeira,divulgação

O conjunto musical Os Pedreiros marcou a cena musical de Caxias do Sul a partir da segunda metade da década de 1960. Fundado em 1965 por jovens que ensaiavam no Clube Juvenil, o grupo surgiu como um quarteto. Tocando basicamente a então febre do momento, os Beatles, e a surf music do The Ventures, Eloy Teixeira (o Paco, na guitarra), Claudio Soares (baixo), Alexandre Bedin (guitarra) e Paulo Amaral (bateria) começaram animando bailes na agremiação da qual eram sócios e nos colégios do Carmo e São José.

Pouco tempo depois, com a explosão da Jovem Guarda em todo o Brasil, a formação perdeu três integrantes e passou a contar com Paco, Luiz Fernando Horn (guitarra), Nery Rodrigues (o La Bamba, no baixo) e Gilberto Riboldi (na bateria).

Mas foi com a entrada do saxofonista Mario Hermes, marcando a terceira fase do grupo, que a banda estourou mesmo. Foi quando Os Pedreiros ficaram mais parecidos com a formação da coqueluche da época: Os Incríveis, dos hits Era um Garoto que como eu amava os Beatles e os Rolling Stones e O Milionário.

É dessa fase a foto acima, já com o novo baterista, Geri Marchioro. A partir da esquerda vemos (em pé) Nery Rodrigues (baixo), Marchioro e Mario Hermes (sax). Agachados, Luiz Fernando Horn (guitarra) e Eloy Teixeira (o Paco, na guitarra). 

Leia mais:
Clube Juvenil: 110 anos depois
Um passeio pelos salões do Clube Juvenil
Ney Matogrosso no Recreio da Juventude em 1976
Debutantes do Recreio da Juventude em 1976
Time de Bolão Garra de Ferro, do Recreio Guarany, em 1958

Grupo era formado pelos músicos Geri Marchioro (bateria), Mario Hermes (sax), Eloy Teixeira (guitarra), Luiz Fernando Horn (guitarra) e Nery Rodrigues (baixo). Foto: Studio Geremia / Acervo pessoal de Eloy Teixeira,divulgação

Animação nos clubes

O quinteto costumava lotar os bailes promovidos pelos clubes Guarany, Juventude, Juvenil, Roda Viva, Reno e Recreio Rodoviário, além de animar casamentos, bodas e festas de 15 anos - quando era exigido um visual mais comportado (paletó e gravata, foto acima).

Todo esse sucesso proporcionou ao grupo contratos para tocar em cidades como Porto Alegre, Lages e Camboriú (SC) e Curitiba (PR). Já em 1969, os Pedreiros, agora com outros integrantes, foram para o México, até encerrarem as atividades em 1972. 

No Cine Real em 1966: Mario Hermes, Eloy Teixeira, Luiz Fernando Horn, Gilberto Riboldi (bateria) e Nery Rodrigues. Ao microfone, uma apresentadora de rádio não identificada.  Foto: Foto Flex / Acervo pessoal de Eloy Teixeira,divulgação

O visual

Com o estouro de Roberto, Erasmo, Wanderléia e companhia, Paco e cia mergulharam não apenas no repertório da Jovem Guarda, mas no visual inspirado pela marca Calhambeque. Entra aí a colaboração de dona Maria Horn (mãe do guitarrista Luiz Fernando Horn) e do comerciante e estilista Paulo Mottin, que mantinha uma loja ao lado do Cine Real, na Av. Júlio de Castilhos.

Elis Regina no Cine Teatro Real em 1974
Menina-prodígio agita o Cine Teatro Real em 1950


Conforme lembra Paco, hoje com 69 anos, os dois auxiliavam no visual do grupo, que incluía jaqueta de couro preta, calça de malha xadrez bem justa e camisas com estampas geométricas, como vemos na apresentação acima, realizada no Cine Teatro Real, em 1966.

Abaixo, um registro do iniciante colunista social Paulo Gargioni para o show dos Pedreiros em 1967. Na época, Gargioni atuava no semanário Caxias Magazine.

Leia mais:
Paulo Gargioni: 50 anos de colunismo social
Caxias Magazine: desejos de Feliz Natal em 1965
Aniversário da União Caxiense de Estudantes Secundaristas em 1962


Apresentação do conjunto musical Os Pedreiros em 1967, no Cine Teatro Tamoio, em Lages (Santa Catarina). Foto: Acervo pessoal de Eloy Teixeira / divulgação

A origem do nome

O batismo do grupo deu-se totalmente por acaso. Na época em que os integrantes ensaiavam em um sala do Clube Juvenil, por volta de 1964/1965, a sede social passava por uma grande reforma. Como a fachada estava tomada por tapumes, e eles entravam e saíam toda hora, começaram a ouvir: "olha ali os pedreiros"...

Não deu outra: o nome já estava escolhido. 

Eloy Teixeira, o guitarrista Paco, guarda diversas lembranças e fotos  da época áurea do grupo, nos anos 1960 Foto: Bruna Marini / especial

Mascote do Carmo

Nos anos 1960, Eloy Teixeira, o Paco, também foi mascote da banda do Colégio Nossa Senhora do Carmo, onde estudava. Ao fundar o grupo Os Pedreiros, Paco fez amizades com Nestor Rizzo, Maurício Sirotsky e Oswaldo de Assis, personalidades do rádio que incentivaram os novos talentos musicais da época. 

Formandos de Contabilidade do Carmo em 1965

Confira outras publicações da coluna Memória

Acesse antigos conteúdos do blog Memória

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros