Ferragem Caxiense em 1947 - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Memória22/08/2016 | 06h01Atualizada em 23/08/2016 | 16h49

Ferragem Caxiense em 1947

Situada na Rua Sinimbu, 1.659, defronte à Metalúrgica Abramo Eberle, a loja definia-se como "o maior empório da cidade"

Ferragem Caxiense em 1947 Acervo Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul/Reprodução
Anúncio da Ferragem Caxiense em 1955 Foto: Acervo Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / Reprodução

Fundada em 1919, a Ferragem Caxiense foi um dos estabelecimentos comerciais mais emblemáticos do antigo centro de Caxias. Situada na Rua Sinimbu, 1.659, defronte à Metalúrgica Abramo Eberle, a loja definia-se como "o maior empório da cidade", comercializando ferragens, tintas, óleos, vidros, armas, munições, cristais, porcelanas e miudezas em geral.

A casa foi fundada em 19 de dezembro de 1919, sob a razão social Eberle, Mosele & Cia e tendo como sócios os empresários Abramo Eberle, Leonel Mosele e Fiorello Arpini. Em 1924, após a morte de Arpini, foram admitidos como novos diretores Oscar Ludwig e Raymundo Guillardi, o que contribuiu para a mudança no nome da razão social, agora Eberle, Ludwig & Cia. 

A denominação segui até 1945, quando o aumento do capital e a admissão de novos sócios — entre eles, antigos auxiliares da firma — ajudaram a formatar a sociedade Ferragem Caxiense Ltda, nome que se perpetuou na memória coletiva da cidade. 

Por volta dessa época, a empresa tinha na linha de frente Oscar Ludwig (administrador geral), Raymundo Guillardi (chefe da seção de vendas), Natalino Rossato (chefe de compras) e Gino Focardi (chefe dos escritórios). 

Na imagem abaixo, um registro do fotógrafo Reno Mancuso (1919-1974) para uma parte da fachada, com a charrete denunciando uma ainda tranquila Rua Sinimbu. 

Caxias pelas lentes do fotógrafo Reno Mancuso

Interiores da Loja Magnabosco nos anos 1950

Faquirismo: jejum, serpentes e uma cama de pregos em 1958

Prédio da Ferragem Caxiense em 1947, na Rua Sinimbu Foto: Reno Mancuso / Acervo de Renan Carlos Mancuso,divulgação

Os fogões Wallig

Nos anos 1940 e 1950, a Ferragem Caxiense era a revendedora exclusiva dos clássicos fogões da marca Wallig, cujo slogan era "com um Wallig em casa, cozinhar é um prazer".

Os preferidos dos caxienses em 1954

Incêndio da Ferragem Caxiense em 1952, na Rua Sinimbu, em frente ao Eberle Foto: Acervo pessoal de Maria Angélica Pettinelli Angonese / divulgação

Um incêndio em 1952

A história da ferragem ficou marcada também pelo famoso incêndio de 23 de novembro de 1952.  Decorrente de uma explosão, o sinistro consumiu parte do prédio de alvenaria, um casarão de dois pavimentos em madeira ao lado, onde funcionava o curso de desenho da metalúrgica, e a antiga Casa Minghelli, estabelecimento comercial situado na esquina com a Marquês do Herval. 

Com o estrago, a ferragem passou a funcionar na Rua Os Dezoito do Forte, junto à Catholica Domus. A inauguração deu-se em 7 de janeiro de 1953. Um anúncio do jornal Correio Riograndense da época, inclusive, destacava "a grande liquidação de salvados do incêndio a preços baratíssimos".

Um incêndio agita o Centro de Caxias em 1952

Na foto acima, o incêndio captado a partir do terraço do Eberle. Abaixo, a destruição da Casa Minghelli, situada na esquina. As duas imagens integram o acervo da leitora Maria Angélica Pettinelli Angonese. 

Cine Apollo, Cine Ópera e dois incêndios

Busto de Dante Alighieri: um ícone da Praça desde 1914

Fogo se alastrou e destruiu a Casa Minghelli, situada na esquina da Sinimbu com a Marquês do Herval Foto: Acervo pessoal de Maria Angélica Pettinelli Angonese / divulgação
Anúncio da Ferragem Caxiense em janeiro de 1953, após o incêndio de 1952 Foto: Acervo Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / Reprodução
Foto "O Inferno de Dante", de Mauro De Blanco Foto: Mauro De Blanco / AHMJSH

Foto premiada

Apesar do pânico, o incêndio rendeu uma das imagens mais conhecidas e premiadas do fotógrafo Mauro De Blanco: "O Inferno de Dante" (acima). Naquela manhã de domingo, De Blanco (1924-2010) enquadrou o busto de Dante Alighieri em primeiro plano, como que a testemunhar o desespero da população e as enormes labaredas atingindo a Casa Minghelli e a ferragem.

Acrobatas alemães agitam o Centro de Caxias em 1957

Acesse conteúdos antigos do blog Memória

Anúncio da Ferragem Caxiense em 1949, no jornal A Época Foto: Acervo Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / Reprodução
 Anúncio da Ferragem Caxiense em 1955  Foto: Acervo Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / Reprodução


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros