Memória: as fiandeiras da Festa da Uva de 1950 - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

História17/02/2016 | 09h24

Memória: as fiandeiras da Festa da Uva de 1950

Memória: as fiandeiras da Festa da Uva de 1950 Reno Mancuso/Acervo pessoal de Renan Carlos Mancuso,divulgação
Grupo de fiandeiras era formado, entre outras, por Joana De Carli e Maria Casal e demonstrava as antigas práticas do início da imigração italiana Foto: Reno Mancuso / Acervo pessoal de Renan Carlos Mancuso,divulgação

As origens de Caxias do Sul sempre estiveram em evidência na Festa da Uva. No retorno do evento ao calendário festivo da cidade em 1950, após o hiato de 13 anos decorrente da Segunda Guerra Mundial, foi a vez de o trabalho artesanal das pioneiras imigrantes italianas ser reverenciado.

Confira outras publicações da coluna Memória

Idealizado pelo religioso Irmão Roberto, mais conhecido por Irmão Robertão, o Pavilhão Histórico-Cultural de 65 anos atrás abrigou um grupo de senhoras demonstrando a arte da tecelagem.

Fiando em antigas rocas e fusos e entoando melodias em dialeto vêneto, Maria Casal, então com 64 anos, Antonia Lusa, 80, Joana De Carli, 60, Angela Cassol, 77, Carolina Pegiorin, 74, e Ermenegilda Tonielo, 66, se transformaram em uma espécie de testemunho vivo da edição que homenageava os 75 anos da colonização italiana na Serra.


Festa da Uva de 1950: fiandeiras eram uma das atrações do Pavilhão Histórico-Cultural. (Foto: Reno Mancuso, acervo pessoal de Renan Carlos Mancuso/ Divulgação)

O lugar também chamou a atenção do presidente Eurico Gaspar Dutra. Durante a visita, o general recebeu um pulôver de dona Carolina, uma filha de imigrantes nascida no Travessão Monte Bérico da 9ª Légua, em 1876.

A peça foi fiada da lã bruta e tricotada especialmente para o político, que em 1950 inaugurava a tradição de um presidente da República abrir a Festa da Uva.

Presidente Eurico Gaspar Dutra visita a Festa da Uva de 1950



Pavilhão Histórico-Cultural localizava-se na área da antiga Cooperativa Madeireira Caxiense. (Foto: Reno Mancuso, acervo pessoal de Renan Carlos Mancuso/ Divulgação)

Na Madeireira Caxiense

A Festa da Uva de 1950 ocorreu na área da antiga Cooperativa Madeireira Caxiense, no quarteirão onde hoje localizam-se os hipermercados Big e Zaffari.

Às vésperas do encerramento, um incêndio destruiu quase todo o Palácio de Festas, junto ao recinto da Exposição Agro-Industrial. O Pavilhão Histórico-Cultural, no entanto, foi salvo a tempo pelos bombeiros.

Festa da Uva: um parque e um incêndio em 1950

Na edição seguinte, em 1954, a festa ganhava sua sede própria, na Rua Alfredo Chaves (prédio da atual prefeitura).

1972: o último ano do Pavilhão da Festa da Uva

Heitor Celli

O Pavilhão Histórico-Cultural abrigava também móveis, objetos e utensílios dos primórdios da imigração e uma exposição de telas do pintor Heitor Celli. O artista, inclusive, retratou o governador Walter Jobim, outro visitante da festa.
 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros