Frei Jaime: Natal, nascer e renascer o amor - Colunas de Frei Jaime Bettega - Últimas notícias do Brasil e Mundo - Geral - Pioneiro
 

Opinião24/12/2018 | 06h30Atualizada em 24/12/2018 | 06h30

Frei Jaime: Natal, nascer e renascer o amor

Por uns instantes, a pressa dá uma trégua, a paz se instala e a ternura ocupa os diferentes espaços existenciais

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Bom Dia! Amanhece um dia muito especial: véspera de Natal... o coração está em festa... tem ainda muitas coisas para ajeitar e encaminhar... Mas nada contém essa alegria que flui espontaneamente... que este seja o melhor Natal, o mais significativo evento, pois reúne família e amigos... Feliz Natal! 

"A cena do Natal não está datada. Portanto, é um (re)nascimento que pode simplesmente acontecer todos os dias, a qualquer tempo. Basta dar-lhe vida." (Marcia Capellano).

Leia mais
Frei Jaime: o lado bom da vida
Frei Jaime: é de coração 

O Natal é a festa das festas: família, ceia, abraços, momentos de espiritualidade, reencontros, presentes, amizade, bondade e muito amor. Por uns instantes, a pressa dá uma trégua, a paz se instala e a ternura ocupa os diferentes espaços existenciais. O Natal faz acontecer muitos milagres: as distâncias são eliminadas, o coração torna-se mais amável, os desencontros são esquecidos, as mágoas deixam de ser doloridas e a bondade encontra um jeito de arquitetar muitas surpresas. São dois mil anos de muitas histórias inspiradas num amor único e especial: o céu visitou a terra, o Divino se fez humano e a paz tornou-se uma realidade ao alcance de todos. O Natal é simplesmente grandioso, por isso não pode ser datado. O ensinamento da ‘Noite Santa’ tem o poder de inspirar os demais dias do ano. Renascer é a melhor forma de tornar a vida mais bela e mais leve. Como é feliz a família que não esquece de favorecer o renascimento do amor e da cumplicidade. A rotina tem machucado muitos corações e inúmeras relações. 

As exigências diárias não poupam, mesmo assim ninguém deveria deixar de amar intensamente. Entre as muitas maravilhas do Natal, uma delas diz respeito ao núcleo familiar: de um jeito ou de outro, as famílias se encontram, reatam a comunicação, abraçam demoradamente, sentam ao redor da mesma mesa. O Natal consegue eliminar os ruídos dos outros dias e reinventa o pertencimento mútuo. O Natal é necessário para que a vida continue tendo entusiasmo e muita bondade. Na sustentação de todos os melhores sentimentos está a espiritualidade, que ilumina, que acalma e renova a esperança. O Menino de Bélem, depois de dois milênios, continua inspirando, elevando e provocando fraternidade e paz. Feliz Natal! 

Bênção! Paz&Bem! Santa Alegria! Abraço!      

Leia também
Cancian era exemplo de profissionalismo e humanidade, destacam ex-colegas
Menino com doença que o impede de caminhar consegue mudança para apartamento térreo

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros