Há pessoas que a gente aprende amar e faz questão de não desaprender - Cotidiano - Pioneiro

Frei Jaime Bettega01/10/2016 | 07h02Atualizada em 01/10/2016 | 07h02

Há pessoas que a gente aprende amar e faz questão de não desaprender

Por maior que seja a capacidade de interagir com os outros, amar é uma exigência que supõe dedicação

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

Bom Dia! Bem-vindo outubro, o décimo mês de 2016! O tempo não é rápido... Nossas ocupações nos distanciam do sabor próprio de cada dia... Mesmo assim, a vida é uma maravilha! Que este sábado seja leve e alegre!

"Há pessoas que a gente aprende amar e faz questão de não desaprender."

Viver é um grande e infinito aprendizado. Por maior que seja a capacidade de interagir com os outros, amar é uma exigência que supõe dedicação. O amor entre as pessoas nem sempre é espontâneo. São poucos os que se sentem convocados ao amor. O individualismo insere a existência numa redoma. Muitos só lembram dos outros quando precisam de algo.

Leia mais
Pedro Guerra: minha filha saiu de casa
Nivaldo Pereira: Estrela Boieira
Gilmar Marcílio: ver e ouvir


Não deixa de ser chato ser lembrado apenas em alguns momentos de necessidade. A primeira impressão não determina quem é o outro. Não são poucos os que emitem julgamentos imediatamente após o primeiro olhar. Impossível captar o todo de uma existência apenas num encontro casual. Pode ser que naquele dia a pessoa não estivesse bem e, consequentemente, não demostrou o seu melhor. Ninguém é igual a ninguém.

Amar para além das aparências e das diferenças é um desafio. A simpatia e a antipatia fazem parte da superficialidade. O amor não esbarra nas aparências. Evidente que tudo pode influenciar. No entanto, amar é um aprendizado que supõe uma predisposição. É preciso querer amar as pessoas. Esse esforço é fundamental para criar e eternizar laços.

Quem não se limita à primeira impressão, pode desencadear uma profunda história de pertença e de amizade. O amor deve ser global. Mas tem pessoas que vale a pena amar. São únicas e encantadoras. Uma aprendizado que provoca infinitas alegrias. Ainda bem que é possível não desaprender de amar. É dolorido quando as circunstancias obrigam amar de um outro jeito e à distância. Que o amor seja a melhor inspiração do cotidiano.

Bênçãos! Paz & Bem! Santa Alegria! Abraços!      

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros