Coral Anjos Voluntários - Notícias e Informações das cidades da serra gaúcha - Pioneiro

Vers?o mobile

 

Fim de ano

Por um 2014 sem preconceito

Paula Valduga

A emoção começa na voz de Maria Antônia Mendes Rios. Aos 13 anos, ela é uma das seis solistas do coral da Casa Anjos Voluntários, em Caxias. Há oito meses no grupo, ganhou a responsabilidade de abrir sozinha, só com a voz, sem qualquer sonoridade junto, a música que significa para eles muito mais do que a vitória no Projeto Recria Fazendo Arte-Educação. A canção, que o Pioneiro escolheu para transmitir uma mensagem de fim de ano, é uma demonstração de corações abertos pedindo o fim do preconceito, uma realidade que eles conhecem muito bem.

"Veja meus olhos / eles não têm a mesma cor que os seus / Teus pensamentos / Às vezes não combinam com os meus / Se temos diferenças / A natureza quis assim / Mas o mesmo sol / Que te aquece / Também aquece a mim", canta Maria Antônia. Em seguida, entra a melodia composta pelo professor de música da Anjos, Aldren Ferreira, e as demais vozes do coral para dar sequência a uma música que realmente emociona. São 145 crianças e adolescentes, com idades que variam entre seis e 16 anos, beneficiadas por atividades no turno inverso da escola. O coral é uma delas, reúne 40 integrantes e existe há cinco anos.

- Aqui na Anjos, atendemos 12 bairros e estamos conseguindo encaminhar quem chega aos 16 anos e precisa sair da Casa. Muitos são colocados em cursos técnicos e de lá vão direto para o mercado de trabalho - conta a presidente da Casa Anjos Voluntários, Isamar Damin Ordovás Sartori.

Mas para comemorar esses resultados, é preciso trabalho e colaboração da comunidade. Aldren, por exemplo, é contratado pela Casa para dar aulas de música. Ele tem 39 anos de vida e 30 de experiência musical. Há 10 meses, transfere um pouco de todo esse conhecimento para os integrantes do coral.

- Eu não sou um ditador, trabalho junto com eles. Sobre essa música, primeiro escolhemos o tema, o bullying, que faz parte da vida deles. Aí pedi que cada um pensasse em uma frase. Eu fiz as rimas e a composição, a letra foi escrita junto com eles. O resultado é uma música em que eles abrem o coração - relata Aldren.

Tanto ele quando Isamar confirmam: essa canção diz muito sobre o que essas crianças e adolescentes vivem no seu dia a dia. E é por um 2014 com menos preconceito e mais igualdade que o Pioneiro pede nesta reportagem e nos vídeos que gravou na Anjos. Acesse o pioneiro.com, cante e emocione-se conosco. Quem em 2014, os últimos versos da letra composta pelos integrantes do coral sejam uma realidade: "Tudo isso passou / Não preciso mais ficar calado / O preconceito e o medo / Desde hoje fazem parte do passado."

Eu fiz as rimas e a composição,
a letra foi escrita junto com eles.
O resultado é uma música em que
eles abrem o coração

Aldren Ferreira, professor de música do coral

Os desejos deles para o ano que vem

No dia da gravação dos vídeos, gestos, sorrisos e cochichos reuniam quem estava por lá. O coral não estava completo, porque os integrantes que estudam à tarde estavam na escola. No entanto, entre as crianças e adolescentes reunidos no refeitório da Anjos - ornado por um lindo painel doado pelo artista Antonio Giacomin - naquela tarde, havia expectativa e cuidadosos preparativos.

Professoras faziam tranças no cabelo das meninas, umas ajudavam as outras a se maquiar e olhares desconfiados surgiam de todos os lados. Entre essa turma, destacava-se a alegre Paola Ritiele, também solista. Enquanto ela caminhava de um lado para outro, meninas a procuravam com o desejo de serem maquiadas por ela.

- Eu costumo maquiar as meninas desde que entrei aqui, há três anos, aprendi assistindo TV - contou sorridente.

Aos 16 anos, Paola vai ter que deixar a Casa em breve, mas poderá permanecer no coral. Ela representa a união e a solidariedade que existem entre os integrantes. Antes da gravação começar, enquanto equipamentos eram montados, pequenos grupos de conversa se formavam e os sorrisos se abriam em todos. Na hora do gravando, porém, o professor pediu concentração. E parou a gravação duas vezes para corrigir alguma nota fora do lugar. Depois da captação encerrada, eles ainda escreveram em uma folha o que desejam para 2014, e disso resultou outro vídeo que está na site. Eles pedem paz, felicidade, saúde. Mas também querem humildade, sinceridade, o fim do bullying, milagres. Você pode ajudá-los a conquistar.

Como ajudar a Anjos

:: Apadrinhando uma criança, porque assim você ajuda na manutenção dos serviços.A Anjos sugere R$ 80 por mês, mas o padrinho é quem decide o valor.

:: Também é possível escolher a Anjos Voluntários ao se cadastrar no programa Nota Fiscal Gaúcha.

:: Para ajudar, ligue para 54.3027.7720 (após 2 de janeiro) ou 54.9948.5690, com a presidente, Isamar Damin Ordovás Sartori.

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros