UCS e empresas da Serra estão unidas no combate à pandemia de coronavírus - Cidades - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

#juntoscontraovírus18/04/2020 | 09h38Atualizada em 18/04/2020 | 09h43

UCS e empresas da Serra estão unidas no combate à pandemia de coronavírus

Só com a união de academia, área médica e empresas, por exemplo, foi possível construir, em tempo recorde, um protótipo de ventilador pulmonar

UCS e empresas da Serra estão unidas no combate à pandemia de coronavírus Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Lançamento do ventilador ocorreu no último dia 9 Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Nos últimos 30 dias, a Universidade de Caxias do Sul (UCS) e o Hospital Geral (HG) agiram com protagonismo na busca por alternativas concretas para o enfrentamento ao coronavírus. Muitas empresas e pessoas se uniram a elas para, voluntariamente, atuar no Centro de Saúde Digital, que faz teleatendimento a pacientes em busca de informações; realizar testes da covid-19; fabricar e distribuir equipamentos de proteção individual (EPIs) para profissionais da saúde; criar derivadores que ampliem a capacidade dos ventiladores existentes; e, o mais ousado, desenvolver, testar, aprovar, produzir e distribuir ventilares pulmonares mecânicos.

— Quando eclodiu a pandemia, nossos professores, técnicos, pesquisadores e cientistas se reuniram e apresentaram sugestões e caminhos diante dos problemas que se apresentavam. Inúmeras pessoas e empresas disponibilizaram materiais, equipamentos, mão de obra. Isto demonstra acima de tudo, o espírito de colaboração e desprendimento dos nossos cidadãos, e revela o prestígio, a credibilidade, a confiança que a comunidade regional deposita da UCS e no HG, nas suas equipes — afirma José Quadros dos Santos, presidente da Fundação Universidade de Caxias do Sul (Fucs), mantenedora das instituições.

Leia mais
"Seja a boa notícia" é nova fase de campanha do Grupo RBS

Só com a união de academia, área médica e empresas, por exemplo, foi possível construir, em tempo recorde, um protótipo de ventilador pulmonar. Desde o chamamento do HG e do Parque de Ciência, Tecnologia e Inovação, o TecnoUCS, em 24 de março, 31 empresas e 30 voluntários colocaram a expertise em projetos e componentes a disposição do grupo que desenvolveu o protótipo batizado de Frank 5010. Estiveram envolvidos profissionais das engenharias mecânica, eletrônica, pneumática e mecatrônica, além de metalurgia, usinagem de alta precisão e tecnologia da informação.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 09/04/2020 - Apresentação do protótipo de ventilador pulmonar que vem sendo produzido por empresas e profissionais voluntários, sob orientação do Hospital Geral e coordenação do Parque de Ciência, Tecnologia e Inovação da Universidade de Caxias do Sul - TecnoUCS. (Marcelo Casagrande/Agência RBS)<!-- NICAID(14473686) -->
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Do lançamento do ventilador, no último dia 9, até sexta-feira, o protótipo passou pela fase de testes de engenharia com sucesso, no complexo de Laboratórios Especializados em Eletroeletrônico (Labelo) da Pontifícia Universidade Católica (PUC-RS). Entre as melhorias, uma bateria para garantir duas horas de funcionamento sem energia elétrica.

Enquanto aguarda a qualquer momento a autorização da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) do Conselho Nacional de Saúde para dar início à testagem clínica, a equipe trabalha no aperfeiçoamento do ventilador e na captação de recursos.

Segundo o coordenador-executivo do TecnoUCS, Enor Tonolli Júnior, o objetivo do grupo é estar pronto para produção em escala industrial tão logo o protótipo esteja aprovado pelo Conep e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. A linha de montagem será finalizada neste sábado, com capacidade diária de produzir de 120 a 150 ventiladores. A intenção é entregar 300 unidades gratuitamente a hospitais de campanha em Caxias do Sul e região.

Desenvolver o projeto em Caxias garantiu, além da mão de obra, a disponibilidade no mercado local de 95% dos componentes do ventilador. Quatro deles, de uso hospitalar, são importados. Uma válvula que regula o ar que vai para os pulmões, a própria força-tarefa desenvolveu. Para os demais, não haverá tempo e o TecnoUCS busca parceiros para viabilizar a aquisição.

Empresas envolvidas no projeto e desenvolvimento do Frank 5010: Comlink Equipamentos Eletrônicos; Dober Máquinas Especiais; Longhi Engenharia Automação; Primaserra Automação Industrial; Bettoni – Sistemas para Plásticos; e Zextec Consultoria Industrial.

Empresas que apoiaram o projeto com acessórios, serviços e suporte técnico: Acrilys do Brasil; Akeo Industrial; Continental Ferramentas; Domo House; D’Zainer; Eberle Motores; Empresas Randon; Fadanelli Atelier; Ícone Projetos Design; Grendene; Mantova; Marcopolo; New Tech Company; SEI Informática; Sildre; Indústria Schumacher; Sulmax; Upaccess; ViezzerEngenharia; VSI Systems; Frion Ltda; Turmina Serviços; Mecânica Cecconi; Gregolon Refrigeração; JAK Fotogravuras

Pessoas físicas que apoiaram o projeto com acessórios, serviços e suporte técnico: Marcio Cattani; Ricardo Pastore; Gerry A. Schmitd; Felipe Luis Malvestido; Ceccilia Callai; Claudio Zardo; Leonardo Bortoluz; Tiago Boreli; e Diego Bettoni.

Leia também
Família reunida para atender aumento de pedidos pela internet

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros