Fábrica de Balas Caxiense em 1947 - Cidades - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Memória04/03/2020 | 07h00Atualizada em 08/03/2020 | 14h42

Fábrica de Balas Caxiense em 1947

Estabelecimento localizado na Avenida Brasil produzia ainda caramelos e doces para festas de Natal e Páscoa

Fábrica de Balas Caxiense em 1947 Agência RBS / reprodução/reprodução
Foto: Agência RBS / reprodução / reprodução

Chimarrão de Luxo, Rainha Côco, Tofée, Café e Leite, Moranguinho, Azedinha, Rainha Chololate, Leite de Luxo. Essas eram algumas das guloseimas produzidas pela antiga Fábrica de Balas Caxiense, estabelecimento comercial situado na Avenida Brasil, 460. Trata-se, no caso, da Avenida Itália, no bairro São Pelegrino, cujo nome foi alterado para o "português" durante a Segunda Guerra Mundial — era o período de restrições ao idioma italiano e a várias de suas referências em território nacional. Nota do colunista: na versão impressa, o endereço saiu erroneamente como sendo na atual Avenida Brasil, no bairro Jardim América. 

O surgimento do Posto de Gasolina Michelin em 1936

Inaugurada em 1947, destacava-se também pela produção de finíssimos doces para as festas de Páscoa e Natal. Matéria veiculada na edição de 7 de setembro de 1947 do jornal "O Momento", anunciava a chegada do estabelecimento:

"Conforme é do conhecimento de todos, teve lugar dia 30 do mês último a inauguração da moderna e completa Fábrica de Balas Caxiense Ltda. O ato revestiu se de grande brilhantismo, tendo comparecido industrialistas, autoridades, comerciantes e povo em geral. Foi servido aos presentes, finos doces, cocktails, chope e frios. Este novo estabelecimento, que veio aumentar e elevar o parque industrial desta terra, tem como dirigentes os senhores Armindo May, Reinoldo Dick, Augusto Wagner (August), Henrique Wagner (Heinrich) e José Paulino Simon."

Nas imagens desta página, uma seleção de anúncios antigos garimpados nas edições dos jornais "A Época", "O Momento" e "Pioneiro", entre os anos de 1947 e 1951. Infelizmente, não conseguimos localizar fotos originais da empresa, tampouco da produção e de funcionários. Você trabalhou, possui fotos ou conhece alguém que tenha atuado na empresa nos anos 1940 e 1950? Envie as imagens e as informações para o e-mail do alto da página.

Leia mais:
Carro alegórico da Vinícola Mosele na Festa da Uva de 1961
Avenida Rio Branco: anúncios de antigos comércios e serviços
Fábrica de Calçados Caxias, de Alcides Longhi, em 1948

Foto: Agência RBS / reprodução
Foto: Agência RBS / reprodução
Foto: Agência RBS / reprodução

Leia mais:
Conservatório Musical Rossini em 1959
Industrial Madeireira na Festa da Uva de 1965
Oscar Boz e o Apiário Zé Colmeia em 1966   

Festa de confraternização em 1948

Um ano e meio após a inauguração, a fábrica promoveu uma confraternização entre direção e funcionários. O encontro foi destacado na edição do Pioneiro de 6 de janeiro de 1949 (fotos acima e abaixo), logo na sequência da estreia do jornal, em 4 de novembro de 1948: 

"No dia 31 de dezembro findo, a direção da Fábrica de Balas Caxiense Ltda, em seu estabelecimento, situado na Avenida Brasil, 470, ofereceu uma agradável festa de fim de ano aos seus funcionários, sócios e amigos. Essa festa, que constou de um excelente churrasco, transcorreu num ambiente de intensa alegria entre patrões e funcionários.  

O Pioneiro, gentilmente convidado, fez-se representar pelo seu diretor-gerente, senhor Onil Xavier dos Santos. Logo após o churrasco fez uso da palavra o senhor Armindo May, sócio do referido estabelecimento, que, num bonito improviso, agradeceu a todos os seus auxiliares pela cooperação que prestaram durante o ano de 1948. 

Conforme nos informou a direção daquele estabelecimento a Fábrica de Balas Caxiense Ltda será ampliada com a construção de mais um moderníssimo prédio, permitindo assim maior extensão e capacidade para novas instalações de máquinas e aparelhamento. Será aumentado também o número de funcionários, que já é bastante elevado, a fim de que a produção e variedade de suas balas seja suficiente para atender a todos que dão preferência àquela conceituada firma". 

Leia mais:
Máquina de escrever, telefone de baquelite, mata-borrão e outros apetrechos mais
Inauguração do novo edifício do Banrisul em 1952
Inauguração do Varejo do Eberle em 1949
O incêndio da Ferragem Caxiense em 1952  

Foto: Agência RBS / reprodução

Fim das atividades

Conforme edital de falência publicado na edição de 14 de março de 1954 do jornal "A Época" (abaixo), a Fábrica de Balas Caxiense Ltda encerrou as atividades em fevereiro de 1954.

Foto: Agência RBS / reprodução

Leia mais:
Fábrica de Pregos e Malharia Expedito em 1957
Monumento ao Imigrante em 1958
Cobertores que fizeram a fama do Lanifício Gianella
Lanifício Gianella em imagens e lembranças
A trajetória da antiga malharia Nilza
Guerino Sanvitto e a Malharia Jane em 1950
Bar Danúbio nos anos 1950: sorvetes, bebidas e guloseimas
Mercadinho do Povo na Av. Júlio em 1947
Casa Prataviera: um ícone do Centro   

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória  


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros