O surgimento do posto de gasolina Michelin em 1936 - Cidades - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Memória24/02/2020 | 07h00Atualizada em 24/02/2020 | 13h07

O surgimento do posto de gasolina Michelin em 1936

Revenda de combustíveis, oficina e lavagem localizava-se na esquina das ruas Pinheiro Machado e Visconde de Pelotas

O surgimento do posto de gasolina Michelin em 1936 Studio Geremia / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação/Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação
A inauguração do posto Michelin em 1936, na esquina das ruas Pinheiro Machado e Visconde de Pelotas, onde vendia-se "gasolina e óleos a qualquer hora do dia ou da noite" Foto: Studio Geremia / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Lançada em 2015 pelos autores Charles Tonet, Tânia Tonet e Jéssica Brito, a publicação Quilômetro Rodado - Memórias do Sindipetro é - com o perdão do trocadilho - uma viagem recheada de curiosidades e descobertas. Não só por resgatar a importância de uma entidade como o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, mas por detalhar os primórdios de várias revendas e postos de combustíveis de Caxias e região. Especialmente aquele que é considerado o primeiro deles, segundo dados do Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami.

Falamos do Posto de Gasolina Michelin, então localizado na esquina das ruas Pinheiro Machado e Visconde de Pelotas. Uma das primeiras notícias a respeito do novo empreendimento data de 28 de setembro de 1936. Nota de capa do semanário "O Momento" anunciava que, para marcar a inauguração, dali a alguns dias, um apetitoso churrasco seria servido numa chácara nos subúrbios da cidade - o que não se sabe se realmente ocorreu. Registro mais detalhado veio na edição do dia 19 de outubro de 1936 do mesmo jornal, conforme reproduzido abaixo:

"Perante grande número de pessoas do mundo comercial desta cidade, inaugurou-se domingo último o Posto Michelin, mandado construir pela operosa firma Thompson & Cia desta praça. Os senhores Germano Thompson e Dario Ungaretti, formadores da firma, obsequiaram aos que ali compareceram com chopes e outras bebidas. Foi feita uma acurada exposição da montagem e funcionamento dos aparelhos existentes no posto, em cuja direção está o senhor Thompson, tendo como ajudante técnico o senhor Willy Vanoni, pessoa competente e dedicada". 

A novidade para a Caxias de 1936 também foi detalhada na edição de 22 de outubro do semanário Il Giornale Dell'Agricultore, dirigido pelo empresário Caetano Pettinelli:

"Edificou o lindo posto a Construtora Caxiense Ltda, cuja obra muito recomenda os artistas que nela trabalharam".

Leia mais:
Caetano Pettinelli, Nestor Gollo, Erico Verissimo e uma visita a Caxias em 1956
Rincão da Lealdade e um churrasco para a Miss Brasil Martha Rocha
Martha Rocha, Miss Brasil 1954, visita Caxias do Sul 

A solenidade 

Conforme reportagens da época, a solenidade contou com a presença de nomes como o senhor Rodolfo Rossarola, que proferiu o discurso inaugural; o prefeito Dante Marcucci, o doutor Olmiro de Azevedo e o tenente coronel Januário Coelho da Costa, comandante do 9º Batalhão de Caçadores.

Na imagem abaixo, o detalhamento dos serviços oferecidos pelo novo posto em um anúncio na edição especial de Festa da Uva do periódico Il Giornale dell'Agricultore, em 28 de fevereiro de 1937. Acompanhado, lógico, de uma dica: "Para boa conservação de seu automóvel, lubrifique-o semanalmente".

Leia mais:
Rua Feijó Jr. e uma feira de hortifrutis em 1948
Armazém Zatti, um clássico de São Pelegrino
Os leões de Michelangelo Zambelli no Parque Cinquentenário   

Foto: Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / reprodução

Colaboração 

Parte das informações desta coluna foi reproduzida do livro Quilômetro Rodado - Memórias do Sindipreto, dos autores Charles Tonet, Tânia Tonet e Jéssica Brito. Ricamente ilustrada com fotos de ontem e hoje, a publicação contextualiza o processo de industrialização do país, a partir dos anos 1920; o surgimento das primeiras bombas, revendas e postos, a abertura da Estrada Federal Getúlio Vargas, em 1941; o desenvolvimento do setor, entre várias outras abordagens ligadas ao Sindipetro Serra Gaúcha — Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, de Empresas de Garagem, Estacionamento, de Limpeza e Conservação de Veículos e Lojas de Conveniência de Caxias do Sul e Região. 

Conforme os autores, o livro divide-se em três partes: os transportes e o uso de fontes de energia, as peculiaridades do setor e as contribuições do sindicato  para os associados e a sociedade regional. 

Leia mais:
Fábrica de Calçados Caxias, de Alcides Longhi, em 1948
Conservatório Musical Rossini em 1959
Industrial Madeireira na Festa da Uva de 1965
Oscar Boz e o Apiário Zé Colmeia em 1966  
Máquina de escrever, telefone de baquelite, mata-borrão e outros apetrechos mais
Inauguração do novo edifício do Banrisul em 1952  
Casa Gaúcha, um clássico do Centro
Inauguração do Varejo do Eberle em 1949
O incêndio da Ferragem Caxiense em 1952 

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória  

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros