A Casa de Especialidades de P. Vettorello & Filho em 1952 - Cidades - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Memória23/01/2020 | 11h05

A Casa de Especialidades de P. Vettorello & Filho em 1952

Estabelecimento localizava-se na Avenida Júlio de Castilhos entre as ruas Visconde de Pelotas e Dr. Montaury

A Casa de Especialidades de P. Vettorello & Filho em 1952 Studio Geremia / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação/Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação
Estabelecimento situava-se na Av. Júlio, entre a Montaury e a Visconde, próximo ao antigo Studio Geremia Foto: Studio Geremia / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Delicatessens, armazéns gourmet, empórios de produtos finos e importados, boutiques gastronômicas, entre tantas outras definições para esse tipo de comércio pipocaram pela cidade nos últimos anos. Esse conceito, no entanto, de novo não tem nada. Especialmente quando deparamos com os anúncios da antiga Mercearia Caxiense, de dona Sila Mariani Santini, e da Casa de Especialidades de P. Vettorello & Filho nas edições do Pioneiro da primeira metade da década de 1950. 

Em 13 de dezembro de 1952, por exemplo, o semanário publicou matéria destacando a nova fase da Casa de Especialidades, agora com a “agregação de uma moderna e sortidíssima fiambreria”. Texto da época descrevia o lugar, localizado na Av. Júlio, entre a Dr. Montaury e a Visconde de Pelotas, próximo ao antigo Studio Geremia:

"A Casa de Especialidades, estabelecida à Avenida Júlio de Castilhos, 1.880, fone 774, agora em mãos de P. Vettorello & Filho, é uma das casas mais sortidas em artigos de armazém, produtos hortícolas e coloniais, bem como a mais suprida em vinhos finos, nacionais e estrangeiros. A Casa de Especialidades estendeu ainda mais o seu rol de artigos finos expostos instalando agora um moderno e completo serviço de fiambreria".

Leia mais:
Mercadinho do Povo na Av. Júlio em 1947
Venda a granel: ontem, hoje e sempre
De volta aos antigos armazéns
Um retorno aos velhos secos & molhados 

Foto: Acervo jornal Pioneiro / reprodução

Publicidade semanal

Anúncios publicados pela casa nas páginas do Pioneiro traziam outro diferencial: receitas de "pratos finos". Um dos primeiros, em 1º de novembro de 1952 (foto acima), destacava: 

"A Casa de Especialidades de P. Vettorello & Filho brindará semanalmente a distinta família caxiense com receitas de pratos finos dos mais variados sabores e para os mais exigentes paladares". 

A partir daí vieram delícias como o Arroz de Forno com Camarões, os Aspargos à Francesa, o Creme de Champignons, o Pudim de Amêndoas, o Pão Mosaico, a Torta de Tomate e Anchovas, o Creme Metrópole, a Bomba de Atum, entre dezenas de outras... 

Studio Geremia: mesmo cenário, vários noivos

Arte da culinária

Os reclames veiculados no Pioneiro entre 1952 e 1954 também frisavam alguns produtos e serviços exclusivos, como a revenda da “afamada manteiga Rainha do Sul” e o atendimento aos sábados até as 18h. Outro atrativo era: "Atenção! Fornecemos gratuitamente receitas e conselhos sobre a arte da culinária!". 

Leia mais:
Restaurante Quitandinha na Av. Júlio nos anos 1950
Bomboniére Maratá em 1943
Lembranças da antiga Joalheria Beretta
Os preferidos dos caxienses em 1954   

Foto: Acervo Jornal Pioneiro / reprodução

Leia mais:
Armazém Onzi, um clássico do bairro Rio Branco
Inauguração das Feiras Livres em 1948
Armazém de Antonio Boz nos anos 1940    
Inauguração do Super Calcagnotto em 1975
Armazém Baldasso e os 90 anos de seu Angelo
Inauguração do novo Pastifício Caxiense em 1963
Pastifício Caxiense: os diplomas da preferência popular em 1954
Lembranças recheadas de sabor no antigo Pastifício Caxiense
Padaria e fábrica de massas de Vitorio Pasetti 

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória   

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros