Jornal "O Assombro", humor e malícia em 1937 - Cidades - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Memória19/11/2019 | 07h01Atualizada em 19/11/2019 | 07h01

Jornal "O Assombro", humor e malícia em 1937

Publicação mesclava deboche e críticas ao comportamento da sociedade caxiense de 80 anos atrás

Jornal "O Assombro", humor e malícia em 1937 Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / reprodução/reprodução
Foto: Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / reprodução / reprodução

A primeira edição surgiu em outubro de 1937 e, na capa, já dizia a que vinha: "O Assombro é um assombro de verdade e nasceu para inticar com gregos e troianos". Falamos do meteórico jornal que circulou em Caxias em edições esparsas entre finais de 1937 e meados de 1938, mesclando ironia, humor, deboche e críticas explícitas à sociedade caxiense e aos comportamentos da época. 

O tom pândego era explicitado desde o expediente. Diretor: S.O.S. Gerente: Eu… Redatores: uma infinidade… Tudo para evitar complicações com os autores dos textos, "um grupo de caxienses bambas", como eles se definiam. O texto de apresentação vinha nessa linha:

"Leitor amigo. Serei simples, sincero e alegre. Não vestirei roupas escuras e nem verei a vida pelo lado pessimista. Procurarei conviver contigo, oferecendo-te alguns momentos de prazer. Envidarei esforços no sentido de fazer-te sorrir, pois precisamos encarar a existência com entusiasmo sadio. Se for malicioso, perdoa. Não tenho a intenção de envenenar a tranquilidade alheia. Anima-me a esperança de alcançar meu objetivo, compreendendo que a brincadeira é mais útil às criaturas humanas do que as narrativas que fazem chorar. Apresento-me à tua generosidade e creio que me auxiliarás, contagiando-me com o teu contentamento. É o que espero".

Leia mais:
Quinzenário Ecos do Mundo em 1962
Um espaço dedicado ao tradicionalismo nas páginas do Pioneiro em 1959
Christiano Carpes Antunes e os primórdios da coluna social do Pioneiro 

Foto: Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / reprodução

Direção 

Com o avanço das edições, os pseudônimos e brincadeiras do expediente foram dando lugar a alguns nomes que respondiam pela publicação, como Ítalo Rossi, Assis Bonalume, Waldomiro Tartarotti e Santin Coltro. 

As edições completas podem ser acessadas no site da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul www.camaracaxias.rs.gov.br, no link Centro de Memória (jornais). 

Foto: Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / reprodução

Os leitores

Nem os leitores eram poupados das observações da equipe:

:: De cada 100 pessoas a quem o jornal elogia, no máximo duas ou três cumprem o seu dever de cortesia de agradecimentos
:: De cada 100 pessoas a quem o jornal criticou algo, só um, quando muito, reconhece a justiça nisso e deixa de se tornar inimigo.
:: Dos muitos que mandam colaboração para o jornal, poucos são os que não se ressentem quando não é ela publicada.
:: Grande parte da colaboração enviada gentilmente é de assunto de interesse pessoal de quem a envia.
:: Todos criticam e poucos aplaudem e são muito mais exigentes e descontentes os que nada produzem para o jornal.

Foto: Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / reprodução

Raio X

Uma das colunas mais divertidas era a Quem É, atrelando as inicias do nome das pessoas a seus comportamentos. Em uma breve folhada nas primeiras edições de 1937 era possível deparar com as indagações abaixo:

Quem é?

:: A moça que gosta de namorar na igreja? L. R.
:: A estudante que ficou muito convencida depois que viu a sua fotografia numa revista? T. Rosa
:: O rapaz que sai do matinê, vai em casa pentear o cabelo, botar pó de arroz e vem passear na praça? S.C.
:: O grupo mais convencido de Caxias? Das F.
:: O rapaz que admira-se no espelho, julgando-se muito bonito? A.C. 
:: A guria que banca o Tarzan para colher ameixas?
:: O rapaz felizardo que na Festa de Santa Catarina trocou de pequena três vezes? A.F.
:: A trinca de garotas que, nas imediações da Garage Modelo, brigou por causa de futebol? L. P. e C.
:: A pessoa que pensa ter sangue azul? C.S.
:: O velhote metido a Don Juan que apanhou de tamanco da criada? I.
:: A solteirona que concluiu o Curso Complementar e passou a falar difícil?
:: A moça que costuma fazer demonstrações de pernas nos bancos da Praça Dante?

Leia mais:
Pioneiro 70 anos: de volta a 1952
Pioneiro 70 anos: anúncios na estreia do jornal em 4 de novembro de 1948
Caxias Magazine: anúncios para o Natal de 1965 

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória   


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros