'Uma Noite no Arquivo' promove viagem no tempo - Cidades - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Memória02/08/2019 | 07h00Atualizada em 02/08/2019 | 15h07

'Uma Noite no Arquivo' promove viagem no tempo

Programação ocorre neste domingo, a partir das 17h, na sede do Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami

'Uma Noite no Arquivo' promove viagem no tempo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami / divulgação/divulgação
A casa de negócios de Vicente Rovea em 1917. Desde 1996, casarão abriga o Arquivo Histórico Municipal Foto: Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami / divulgação / divulgação

Repare nas duas imagens abaixo. Na primeira, Lucia Carbone e o filho Francesco Pedro Carbone, o Ferrucio, posam em frente à antiga Casa de Saúde do Dr. Carbone, então gerenciada pelo médico Romulo Carbone, por volta de 1930. Compondo a foto, o carro da família. Na foto seguinte, Lucia, agora com um grupo de amigas, novamente é eternizada junto ao prédio. 

Passados quase 90 anos, o casarão da esquina da Avenida Júlio de Castilhos com a Rua Humberto de Campos (antiga Rua Gauchinha) novamente será cenário para fotos, cliques à moda antiga e uma série de outras atrações. Elas integram a quarta edição do evento Uma Noite no Arquivo, que ocorre neste domingo (4), a partir das 17h, na sede do Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami.

Trata-se de uma atividade artístico-cultural com o intuito de aproximar a comunidade da instituição, segundo o gerente Mário Alberto Tomazoni. Para tanto, estão previstas uma mostra de carros antigos defronte ao prédio – a cargo do colecionador Euclides Smiderle –, e as apresentações musicais do grupo Zingado e do Coro Municipal. Também haverá uma visita guiada pelas dependências do casarão e a exposição Na Era dos Estúdios Fotográficos. Tudo com entrada franca.

Imperdível! 

Leia mais:
Exposição de carros antigos em frente ao Arquivo Histórico Municipal recria foto de 1931
A terceira edição do evento "Uma Noite no Arquivo" em 2018
Delmar Perizzollo e uma corrida de calhambeques na Plácido de Castro 

Lucia Carbone e o filho Ferrucio em frente ao casarão em 1930Foto: Acervo de Maria Leda Carbone / Arquivo Histórico Municipal, divulgação
Lucia Carbone (segunda à esquerda) e um grupo de amigas junto ao casarão em 1929Foto: Acervo de Maria Leda Carbone / Arquivo Histórico Municipal, divulgação

O prédio 

O "casarão rosa", desde 1996 sede do Arquivo Histórico Municipal, passou pelas mais diversas ocupações ao longo do século passado. Apesar de o letreiro da fachada identificar Negocio de Vicente Rovea – Cia Fundado no Anno 1890, data de surgimento do comércio em uma modesta casa de madeira, o prédio em alvenaria só foi erguido por volta de 1905.

Até meados dos anos 1920, abrigou, ao mesmo tempo, a moradia da família Rovea um comércio de secos e molhados e um armarinho.Outras casas de negócio, como Bocchese & Ranzolin e Magnabosco & Chitolina, ocuparam o casarão até 1924, quando o médico Rômulo Carbone (1879-1961) instalou ali sua Casa de Saúde.

Carbone transformou o andar superior em quartos para pacientes e sala de cirurgia, e o térreo, em residência. Já a partir de 1945, com o rebaixamento da Av. Júlio de Castilhos, o porão "aflorou" como um novo pavimento, recebendo portas e janelas, estrutura existente até hoje.

Leia mais:
Arquivo Histórico Municipal celebra 40 anos
Arquivo Histórico Municipal: um casarão para a história
O pioneirismo da família Rovea
Lourdes, Zona Caipora e Bairro Guarani
Cripta do Santo Sepulcro na década de 1930
Zambelli & Locatelli: os detalhes do interior da Igreja do Santo Sepulcro
Memórias da Júlio: as histórias que rondam o velho casarão ao lado do Santo Sepulcro  

Exposição de carros antigos em frente ao prédio é uma das atraçõesFoto: Elenira Prux / divulgação

História preservada 

Tombado pelo Estado em 1986 e pelo município em 2002, o imóvel comporta hoje um acervo de milhares de documentos e fotos, de origem pública e privada, sobre a história de Caxias do Sul. O Arquivo também possui terminais para consulta digital e recebe doações de famílias e empresas. No sótão, reproduz parte do antigo Studio Geremia, com equipamentos, cenários, quadros e outras relíquias eternizadas por Giacomo (pai) e Ulysses (filho). 

Leia mais:
Para recordar do antigo Studio Geremia
Studio Geremia, parceiro da Coluna Memória


Praça Dante Alighieri coberta de neve em 1941 

Agende-se
O que: Uma Noite no Arquivo
Quando: neste domingo (4), a partir das 17h
:: Onde: Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami (Av. Júlio de Castilhos, 312, bairro Lourdes - Caxias do Sul). Fones 3901.1318 ou 3218.6114
:: Quanto: entrada franca

Programação

:: 17h: recepção ao público com exposição de carros antigos
:: 17h15min: abertura
:: 17h30min: visita guiada com apresentação do Coro Municipal
:: 19h: apresentação pocket do Grupo Zingado
:: 19h20min: visita guiada
:: 20h: Grupo Zingado e encerramento

Leia mais:
Vandalismo atinge prédio do Arquivo Histórico Municipal
Uma cidade, múltiplos olhares
Caxias pelas lentes do fotógrafo Reno Mancuso
Mauro De Blanco e o Inferno de Dante em 1952
Studio Tomazoni e a inauguração do Monumento ao Imigrante em 1954
Waldemar Lazzarotto e a Terceira Légua de Caxias em 1939
Sisto Muner e a nova igreja de Galópolis em 1947
Endereços para recordar da história de Caxias do Sul 

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória  

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros