Santa Lúcia do Piaí: o casamento de Santo Zanol e Nair Turella em 1959 - Cidades - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Memória29/08/2019 | 07h00Atualizada em 29/08/2019 | 19h01

Santa Lúcia do Piaí: o casamento de Santo Zanol e Nair Turella em 1959

Casal celebra as bodas de diamante em setembro

Santa Lúcia do Piaí: o casamento de Santo Zanol e Nair Turella em 1959 Studio Geremia / Acervo de família, divulgação/Acervo de família, divulgação
Seu Santin e dona Nair na sala de poses do Studio Geremia, em 1959 Foto: Studio Geremia / Acervo de família, divulgação / Acervo de família, divulgação

As bodas de diamante serão celebradas daqui a um mês, mas desde já recordamos de parte da trajetória do casal. Falamos de seu Santo Zanol e de dona Nair Turella Zanol, que há 60 anos, em 26 de setembro de 1959, uniram-se em matrimônio na Igreja Matriz de Santa Lúcia do Piaí.

Sétimo filho de Francisco Zanol e Rosa Dalla Gasperina, Santo Zanol, ou melhor, seu Santin, como é mais conhecido no distrito, nasceu em 20 de janeiro de 1938, na então Vila de Santa Lúcia. 

Conforme informações apuradas pelo historiador Éder Dall’Agnol dos Santos, as origens da família Zanol no Brasil remetem ao ano de 1892. Foi quando os imigrantes italianos Giovanni Zanol e Angela Berna, avós de seu Santin, estabeleceram-se na região de Ana Rech com dois filhos pequenos – Francisco, pai de seu Santin, foi o primeiro a nascer em solo brasileiro, logo após a chegada da família.

Da união de Francisco com Rosa Dalla Gasperina nasceram 10 filhos, porém três deles (Égide, Clemente e Gema) faleceram em 1920, vítimas de um surto de gripe espanhola.

A esposa

Quarta dos 19 filhos de Mansueto Turella e Irma Zini, dona Nair Turella, nasceu em 26 de abril de 1940 na Linha Paese, interior do distrito de Santa Lúcia do Piaí. 

Conforme pesquisa do historiador Éder Dall’Agnol dos Santos, a família Turella tem como data de chegada ao Brasil o ano de 1877. Foi quando os bisavós de Nair, Pietro Turella e Violante Ruffini, juntamente com os filhos Giuseppe e Pietro – avô de Nair, então cinco anos –, estabeleceram-se no antigo Travessão José Bonifácio, 6ª Légua de Caxias.

Tempos depois, Pietro, então já casado com dona Judith Gazzola, transferiu-se para a Linha Paese. Detalhe: avô materno de dona Nair Turella, João Zini foi um dos fundadores, juntamente com Abel Peroni, do lendário Moinho Santa Lúcia, surgido em 1947.

Leia mais:
Santa Lúcia do Piaí: o casamento de João Zanol em 1948
Família de Secondino Bonatto em Santa Lúcia do Piaí
Secondino Bonatto e o moinho de Santa Lúcia do Piaí
Os 60 anos de uma capela-escola em Santa Lúcia do Piaí  


A colheita de vime em Snata Lúcia do PiaíFoto: Acervo de família / divulgação

Caminhão e vimes

Desde pequeno, seu Santin trabalhou nos serviços agrícolas, mas  começou a vida mesmo dirigindo um caminhão. De 1960 a 1975, percorreu o centro-oeste do país transportando mercadorias. Após, deixou a estrada para se dedicar ao cultivo do vime, oportunizando uma ocupação a muitas crianças da vila, que se divertiam ajudando na colheita e descascando a matéria-prima. 

Roma Andreis Dambroz e Glademir Vidor, moradores da Vila de Santa Lúcia nesse período, recordam de, na infância, terem ajudado seu Santin. Glademir ressalta, inclusive, que, com os trocados ganhos nas colheitas,  comprou seu primeiro relógio de pulso.

Atualmente, seu Santin e dona Nair continuam residindo em Santa Lúcia do Piaí, no mesmo local onde os pais moravam. Ambos aposentados, eles seguem trabalhando no cultivo e plantio de legumes e hortaliças. 

Da duradoura união, prestes a completar 60 anos, nasceram os filhos Rita, Vilmar, Marcos, Elizete e Enor, que lhes deram oito netos e dois bisnetos.

Leia mais:
Família Damin e as origens de Santa Lúcia do Piaí
Família de Antonio Damin em Santa Lúcia do Piaí
Família de Francesco Lazzarotto na década de 1920
Francesco Lazzarotto e a capela da Linha São Maximiliano   

Seu Santin e dona Nair na sala de poses do Studio Geremia, em 1959Foto: Studio Geremia / Acervo de família, divulgação

Álbum de família

Nos registros desta página, alguns momentos da trajetória do casal Zanol. Na imagem acima, o registro oficial do casamento, em 1959 – na sala de poses do Studio Geremia, lógico. 

Studio Geremia: mesmo cenário, diversos noivos

Na sequência, Santo e Nair com os cinco filhos, em meados dos anos 1960. Por fim, um registro de seu Santin durante a visita ao Santuário de Aparecida (SP), no início dos anos 1970 (abaixo).

Leia mais:
Santa Lúcia do Piaí pelas lentes de Fiorentino Cavalli
Santa Lúcia do Piaí: um fotógrafo e um distrito eternizado
Família de João Communello em Santa Lúcia do Piaí
Família Andreazza em Santa Lúcia do Piaí
O Bar Communello na história de Santa Lúcia do Piaí   

O casal e os filhos Rita, Vilmar, Marcos, Elizete e Enor no final da década de 1960Foto: Acervo de família / divulgação
Seu Santin e o caminhão no Santuário de Aparecida, em meados dos anos 1970Foto: Acervo de família / divulgação
O jovem Santo Zanol na época do quartel Foto: Acervo de família / divulgação

Parceria

Colaborador da coluna Memória, o historiador Éder Dall’Agnol dos Santos vem pesquisando a trajetória de diversas famílias que ajudaram a colonizar o distrito de Santa Lúcia do Piaí desde finais do século 19. O trabalho, segundo ele, deverá ser transformado em livro em breve. 

Moradores do distrito que tenham interesse em colaborar com fotos e dados sobre suas famílias ao longo do século 20 podem entrar em contato pelo e-mail ederdallagnol89@gmail.com ou telefone/whatsapp (54) 98449.9186.

Leia mais:
A linha de ônibus de Santa Lúcia do Piaí
Os 90 anos de dona Rachele Costa Giordani
Santa Lúcia do Piaí: a morte de Dom Ambrósio Andreazza em 1947
Santa Lúcia do Piaí: as origens de Nova Camaldoli
Santa Lúcia do Piaí recebe Euclides Triches em 1952 

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória   

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros