Restaurado, monumento à Itália aguarda nova placa e cronograma de instalação em Caxias - Cidades - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Arte06/08/2019 | 11h58Atualizada em 06/08/2019 | 13h32

Restaurado, monumento à Itália aguarda nova placa e cronograma de instalação em Caxias

Peça danificada por colisão de carro em 2017 foi remontada em atelier 

Restaurado, monumento à Itália aguarda nova placa e cronograma de instalação em Caxias Marcelo Passarella/Agência RBS
Dois anos após ser danificado, monumento ainda não foi recolocado na praça João Pessoa Foto: Marcelo Passarella / Agência RBS

Danificado em junho de 2017 pela colisão de um carro que invadiu a calçada, o Monumento à Itália da praça João Pessoa, no bairro São Pelegrino, em Caxias do Sul, foi remontado pelo artista e restaurador André Gnatta. Conforme Gnatta, a peça em pedra basalto que representa o mapa da Itália foi colada e está pronta no atelier do artista, em São José da 6ª Légua, já tendo passado pelo processo de cura necessário após a colagem.

A placa original em bronze, que estava com as bordas danificadas por tentativas de furto, também foi recuperada. O monumento, agora, segundo Gnatta, aguarda uma nova placa que está sendo confeccionada, alusiva ao restauro, para que seja definido o cronograma de instalação no local original, em São Pelegrino.

Leia mais
Quase dois anos após ser danificado, Monumento à Itália, em Caxias, é encaminhado para restauro
Após revitalização, Praça Dante Alighieri, em Caxias, ganhará museu a céu aberto

O artista conta que a complexidade envolvida no restauro surpreendeu, o que fez com que o tempo estimado para o trabalho se estendesse. 

— Havia um risco muito grande de danificar o monumento em toda a movimentação que era feita e também na furação. Tive que estudar bem o caminho mais certo possível para não haver problemas — comenta.

Segundo Gnatta, para erguer as peças para o trabalho foram necessários guinchos. As partes de pedra foram perfuradas para passar uma haste de metal entre elas, utilizando também uma cola especial. 

— Fiz consultas com diversos técnicos, inclusive com empresas que fabricam as colas, para chegar no produto correto, que é mais caro no mercado. Também consultei um especialista a respeito da pedra, que explicou como é a retirada da pedreira e como são os veios naturais do material — relata.

Segundo Gnatta, como houve necessidades não previstas inicialmente, como o uso de uma cola mais cara e dois guinchos para deslocar o material em vez de um, o valor do trabalho ficará um pouco mais caro que o previsto no início do restauro. Mas ele não revelou o gasto total. O valor inicial previsto foi de R$ 11,5 mil.

Por meio da assessoria de imprensa, o secretário municipal da Cultura, Joelmir da Silva Neto, informou que o acréscimo no custo efetivo é de R$ 2.710. Ele também afirmou que todo o trabalho, inclusive a recolocação, é "um processo que exige cuidado e atenção" e que, "independente do tempo necessário, o importante é o sucesso neste trabalho e a entrega do monumento em perfeitas condições".

Na última quarta-feira (31), foi escavada uma área na praça João Pessoa para receber a nova base do monumento, que ficará mais alta do que a anterior. Serão 40 cm dentro da terra e outros 40 cm de altura, a fim de preservar a peça de outros acidentes de trânsito.

Escavação para nova base do Monumento à Itália, a ser recolocado após restauro em Caxias do Sul.
Local do monumento foi escavado na última semana para colocação da baseFoto: Marcelo Passarella / Agência RBS

Conforme Gnatta, o monumento deverá ser transportado e posicionado sobre a base com o auxílio de uma espécie de gaiola, para não haver risco de ruptura quando o monumento estiver suspenso. No entorno da peça, será feito um trabalho de paisagismo com plantas. Ele acredita que até o fim deste mês seja possível ter o monumento instalado, mas ressalta que depende de uma definição de cronograma junto à prefeitura para esta parte final do trabalho.

O mapa da Itália foi inaugurado em 13 de setembro de 1958 durante a visita do presidente italiano Giovanni Gronchi. O chefe de Estado do país europeu foi recebido na cidade pelo então presidente Juscelino Kubitschek. 

Leia também
Mesmo com Campanha do Agasalho encerrada, municípios da Serra ainda recebem doações
Magazine Luiza sonda terrenos na Serra para novo centro de distribuição
Em Caxias, ainda faltam professores na rede estadual de ensino

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros