Galópolis: um caminho para conhecer a história - Cidades - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Memória10/08/2019 | 07h00Atualizada em 14/08/2019 | 10h03

Galópolis: um caminho para conhecer a história

Museu de Território terá lançamento em 17 de agosto, Dia Nacional do Patrimônio Histórico

Galópolis: um caminho para conhecer a história Studio Geremia / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação/Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação
A igreja (à esquerda) e a vila captadas a partir da BR-116, na década de 1950 Foto: Studio Geremia / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

A solenidade será só daqui a uma semana, dia 17 de agosto, na Igreja Nossa Senhora do Rosário de Pompéia, em Galópolis, mas desde já fica o convite. Falamos do lançamento do Museu de Território – O Caminho da História, que busca mapear as paisagens naturais e edificadas do charmoso vilarejo às margens da BR-116.

Quatro anos após a entrega das casas restauradas de Hércules Galló – sedes do instituto homônimo –, em 2015, comunidade e turistas poderão, agora, conhecer melhor a história do bairro transitando por um "museu a céu aberto" – os totens explicativos estarão dispostos em 15 pontos, conforme lista mais abaixo.

Galópolis: um museu a céu aberto
Museu de Território de Galópolis: uma viagem à infância
Museu de Território de Galópolis: um vínculo comunitário 

A Igreja Matriz

Para antecipar um pouco toda essa badalação, trazemos um recorte da história da Igreja Matriz, onde ocorrerá o lançamento. Inaugurado em março de 1947, o templo é valorizado, entre outros detalhes, pelos belíssimos vitrais produzidos pela Casa Genta, de Porto Alegre, e pela estátua da padroeira, Nossa Senhora do Rosário de Pompéia. Localizada no topo da edificação, ela foi esculpida pelo alemão Alfred Rademacher, contratado anos antes pelo governo do Estado para a confecção das obras de arte do Palácio Piratini. São de Rademacher também as 14 estações da Via-Sacra.

Acima, a igreja (à esquerda) e parte da antiga vila, captadas a partir da BR-116,  nos anos 1950. Abaixo, a igreja recém-concluída, em 1947. Por fim, o templo compondo o cenário juntamente com a praça e as lendárias casas geminadas da Vila Operária, também integrantes do roteiro que será lançado dia 17 – não por acaso, o Dia Nacional do Patrimônio Histórico.

Leia mais:
Galópolis vista do Morro da Cruz em 1959
Sisto Muner e os antigos fotógrafos de Caxias em livro
Para recordar do Studio Geremia  

A igreja recém-concluída em 1947, ainda com a praça em obras e a sombra dos telhados da Vila OperáriaFoto: Sisto Muner / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Os 15 pontos

:: Cascata Véu de Noiva
:: Arroio Pinhal (ponte)
:: Árvore das garças
:: Instituto Hércules Galló
:: Cine Operário
:: Vila Operária
:: Lanifício São Pedro (Cootegal)
:: Armazém Basso
:: Casa Stragliotto
:: Cooperativa de Consumo
:: Igreja Nossa Senhora do Rosário de Pompéia
:: Círculo Operário
:: Praça Central
:: Sindicato dos Trabalhadores da Fiação e Tecelagem (sede antiga, na BR-116)
:: Escola Ismael Chaves

Leia mais:
Teatro no Cine Operário de Galópolis em 1947
Para recordar do Cine Operário de Galópolis
Galópolis antiga: no escurinho do cinema
Galópolis e a Cascata Véu de Noiva em 1948  
Bênção da Igreja Matriz de Galópolis em 1947
Fiação e tecelagem: Galópolis e os 75 anos de um sindicato
Edwige Galló no novo prédio do Banrisul em 1952

Anos 1950: igreja, vila operária e praça integram o museu a céu abertoFoto: Sisto Muner / Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Leia mais:
Capitel de São Roque: uma tradição de Galópolis
Casarão da família Stragliotto, um símbolo de Galópolis
Família Rigon e os povoadores da Colônia Caxias
A trajetória da professora Ida Matté
Terceira Légua de Caxias em 1939 

O primeiro do Rio Grande do Sul

Todo o trabalho de pesquisa e formatação do Museu de Território de Galópolis foi idealizado e coordenado pela museóloga Tania Tonet (falecida em julho de 2018), a partir de um desejo do empresário José Galló e do arquiteto Renato Sólio, descendentes do imigrante italiano Hércules Galló. 

No Brasil existem projetos semelhantes na cidade de Itabira (MG), terra-natal do poeta Carlos Drummond de Andrade, e em Paraty, no Rio de Janeiro. No Rio Grande do Sul, o de Galópolis é o primeiro.

Agende-se:

O que: lançamento do Museu do Território - O Caminho da História
Quando: dia 17 de agosto, às 10h30min
Onde: Igreja Nossa Senhora do Rosário de Pompéia (Rua Antônio Chaves, 102 - Galópolis)
Quanto: entrada franca

Leia mais:
Galópolis: uma formatura de corte e costura em 1953
Páscoa em Galópolis: os 50 anos da Operação Cruz
Galópolis: Grupo de Bolão Explosivo em 1945
Escolha da Madrinha do Grupo de Bolão Explosivo em 1959
Exposição Janelas de Galópolis destaca a arquitetura típica do bairro
Galópolis na Festa da Uva de 1954  
Instituto Hércules Galló: cobertores que fizeram a fama do Lanifício Gianella 

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória   

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros