Edwige Galló no novo prédio do Banrisul em 1952 - Cidades - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Memória02/04/2019 | 07h30Atualizada em 02/04/2019 | 09h41

Edwige Galló no novo prédio do Banrisul em 1952

Viúva de Hércules Galló foi a primeira depositante da filial da agência em Caxias do Sul

Edwige Galló no novo prédio do Banrisul em 1952 Acervo Instituto Hércules Galló / divulgação/divulgação
Edwige Galló recebe o cartão de prata do diretor-presidente do Banrisul, Renato Costa, em 8 de mar;o de 1952 Foto: Acervo Instituto Hércules Galló / divulgação / divulgação

Ponto de referência de Caxias do Sul, na esquina da Avenida Júlio de Castilhos com a Rua Marquês do Herval, o novo prédio do Banrisul foi inaugurado em 8 de março de 1952 – na sequência da demolição do antigo edifício, onde a filial caxiense da agência funcionou desde meados dos anos 1930.

A badalada solenidade rendeu uma reportagem especial do Pioneiro em 15 de março de 1952, quando uma cliente ganhou destaque: dona Edwige Galló, 81 anos, viúva do empreendedor Hércules Galló (leia mais abaixo). A imigrante italiana, primeira depositante da filial do banco em Caxias, recebeu um cartão de prata da direção, em um dos momentos mais emblemáticos da cerimônia, conforme discurso do então presidente do Banrisul, Renato Costa:

"Dona Edwige, este cartão representa palidamente a nossa homenagem mais profunda. E é também o afeto da instituição a quem teve nela a confiança número um desta casa".

A sequência de fotos desta página traz todo esse ritual, em que aparecem também o prefeito de Caxias, Euclides Triches; o padre Ernesto Brandalise, responsável pela bênção do prédio; o gerente da agência, Ernesto Chiesa, e sua esposa, Apolônia Chiesa; e o tenente coronel Paulo Pinto Leite, da guarnição local.

A solenidade contou ainda com a presença do engenheiro e construtor Dario Granja Sant'Anna, responsável pela obra; o vigário de São Pelegrino, padre Eugênio Giordani; o presidente da Câmara Municipal, Isidoro Moretto; e o vereador Mário Mondino, representando a Associação Comercial e o Centro da Indústria Fabril – entidades que, 20 anos depois, dariam origem à CIC.  

Mais abaixo, a página do Pioneiro de 15 de março de 1952.

Leia mais:
Prédio do Banrisul e Rua Marquês do Herval em 1959
Rua Marquês do Herval e os jardins da Praça Dante nos anos 1950
Rua Marquês do Herval: uma esquina, um cinema, dois bancos
Rua Marquês do Herval: carros de praça nos anos 1930
Confira um vídeo com imagens raras da Praça Dante em 1957 

Apolônia Chiesa oferece um bouquet de flores a Edwige Galló em 1952Foto: Acervo Instituto Hércules Galló / divulgação
O diretor Renato Costa, dona Apolônia Chiesa, o prefeito Euclides Triches, dona Edwige, o padre Ernesto Brandalise e o tenente Paulo Pinto LeiteFoto: Acervo Instituto Hércules Galló / divulgação
Foto: Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / reprodução

Uma pioneira

Nascida em 1870, na província italiana de Vercelli, Edwige Virginia Strona casou com Hércules Galló em1890 e, ao lado do marido e dos dois primeiros filhos, Olga e Renato, estabeleceu-se em Galópolis em 1899 – o terceiro filho, Pinot, nasceu no Brasil, em 1910.

Bastante atuante na comunidade que se desenvolvia em torno do Lanifício São Pedro naqueles primórdios do século 20, Edwige era quem cuidava dos negócios durante as viagens de Hércules – a cavalo pela colônia italiana, levando em mulas os produtos da tecelagem. 

A imigrante também foi uma das integrantes do Pio Sodalício Damas de Caridade, grupo de mulheres voluntárias responsáveis pela fundação do Hospital Pompéia.

Leia mais:
O Pio Sodalício das Damas de Caridade
Hospital Pompéia: o palacete das Damas de Caridade em 1947
Origens do Pompéia: a Casa de Negócios de Stefano Luigi Alberti
Busto de Dom José Barea, no jardim do Hospital Pompéia, em 1966  

Edwige Galló, Orestes Manfro (em pé, à esquerda), Hércules Galló (em pé, à direita) e o filho Renato Galló (sentado), por volta de 1920Foto: Acervo Instituto Hércules Galló / divulgação

O Espaço Multiuso Edwige Galló

Edwige Galló dá nome ao Espaço Multiuso, localizado junto ao Instituto Hércules Galló, em Galópolis, exatamente no terreno onde morou boa parte da vida. No acervo do Instituto também encontra-se o cartão de prata recebido por ela na inauguração do Banrisul, em 1952.

Espaço Multiuso Edwige Galló é inaugurado em Caxias do Sul

Espaço foi inaugurado em março de 2014, junto ao Instituto Hércules GallóFoto: Fabio Grisson / divulgação
Local oferece espaço para palestras e exposiçõesFoto: Fábio Grisson / divulgação

O casal

Hércules Galló faleceu em 1921, aos 51 anos. Edwige, em 1956, aos 85. Na imagem abaixo, a capa do Pioneiro de 11 de fevereiro de 1956, destacando o falecimento da matriarca dos Galló.

Leia mais:
Galópolis e a Cascata Véu de Noiva em 1948
Galópolis vista do Morro da Cruz em 1959
Sisto Muner e os antigos fotógrafos de Caxias em livro  

Foto: Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / reprodução
Foto: Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / reprodução

O Instituto 

O Instituto Hércules Galló, em Galópolis, está aberto à visitação de terça a sábado, das 13h30min às 17h30min, com entrada franca. Saiba mais pelo site www.herculesgallo.com.br.

Leia mais:
Galópolis: um museu a céu aberto
Museu de Território de Galópolis: uma viagem à infância
Museu de Território de Galópolis: um vínculo comunitário
Exposição Janelas de Galópolis destaca a arquitetura típica do bairro
Galópolis na Festa da Uva de 1954   

Parceria

Agradecimento especial a Geovana Erlo e ao Instituto Hércules Galló pela cedência das imagens.

Leia mais:
Instituto Hércules Galló e a família Schenk
Martin Schenk no casarão de Hércules Galló
Instituto Hércules Galló: cobertores que fizeram a fama do Lanifício Gianella  
Teatro no Cine Operário de Galópolis em 1947
Para recordar do Cine Operário de Galópolis
Galópolis antiga: no escurinho do cinema
Residência da família Spinato em Galópolis
Capitel de São Roque: uma tradição de Galópolis
Casarão da família Stragliotto, um símbolo de Galópolis
Galópolis: uma formatura de corte e costura em 1953
Páscoa em Galópolis: os 50 anos da Operação Cruz
Galópolis: Grupo de Bolão Explosivo em 1945
Escolha da Madrinha do Grupo de Bolão Explosivo em 1959
Galópolis ganha uma nova igreja em 1947 

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória  

trong>  

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros