Tradicionalista e radialista Cabeleira morre em Caxias do Sul - Cidades - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Luto27/12/2018 | 19h18Atualizada em 27/12/2018 | 19h40

Tradicionalista e radialista Cabeleira morre em Caxias do Sul

Gonçalves Chaves Calixto será sepultado no final da tarde desta sexta-feira

Tradicionalista e radialista Cabeleira morre em Caxias do Sul Nereu de Almeida/Agencia RBS
Foto: Nereu de Almeida / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

O radialista e tradicionalista Gonçalves Chaves Calixto, mais conhecido como Cabeleira, morreu nesta quinta-feira (27) em Caxias do Sul, aos 78 anos. Natural de Santiago, cidade gaúcha localizada na região das Missões, Cabeleira vivia há décadas em Caxias do Sul. Ele estava internado no Hospital Saúde para se tratar de um câncer na bexiga. 

Cabeleira era um dos grandes nomes do rádio na Serra. Com apenas 13 anos, começou a participar de programas tradicionalistas: em 1953, já era atração frequente do programa Venha Pra Cancha, Amigo, apresentado pelo falecido Joaquim Pedro Lisboa, na Rádio Caxias. 

O guri fazia sucesso com suas trovas e repentes. Com seu jeito de falar sem rodeios e o amor pela cultura rio-grandense, Cabeleira seguiu agradando milhares de ouvintes durantes as décadas que atuou em rádios da cidade, comandando programas jornalísticos e populares. 

Conforme Kátia Regina Calixto, filha de Cabeleira, o pai estava internado por causa do câncer, mas acabou contraindo pneumonia e não resistiu ao agravamento do quadro de saúde. Ele morreu às 16h desta quinta.

— Ele deixou tanta coisa para linda para a nossa família, um legado de união, de sempre um ajudar o outro, na hora da tristeza e da alegria — relata Kátia.

Em setembro de 2008, Cabeleira recebeu a comenda Medalha Honeyde Bertussi, da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul. Também foi agraciado, em 2011, com o Prêmio Vitor Mateus Teixeira, concedido pela Assembleia Legislativa do Estado, indicado pelo ex-prefeito de Caxias do Sul Alceu Barbosa Velho.

— O Cabeleira era um homem da tradição, um poeta. A alma de um poeta, o jeito de um poeta, o modo de um poeta sempre são diferenciados. E o Cabeleira, por ser poeta, era um homem diferenciado, com um coração enorme, ajudando as pessoas, fazendo festas para ajudar as crianças. Era uma pessoa muito querida. E a comunicação perde mais um grande comunicador. Ele tinha seus programas, sabia conversar com o povo, falava a voz do povo — declara Alceu.

Alceu Barbosa Velho entrega Prêmio Vitor Mateus Teixeira ao radialista Gonçalves Chaves Calixto, o Cabeleira.
Foto: Marcelo Bertan,Agência ALRS / Divulgação

O tradicionalista deixa a esposa, seis filhos e cinco netos. Ele será velado na Capela A do Memorial São José, a partir das 21h desta quinta, e o sepultamento está marcado para as 17h desta sexta-feira (28), no Cemitério Público Municipal. Um pouco antes, às 16h, será celebrada missa de corpo presente, no Memorial.

Leia também
Andreazza abre 60 vagas de emprego em Caxias do Sul
Prazo para quitação do IPVA com desconto máximo termina na sexta

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros