São Marcos e Flores da Cunha decretam situação de emergência após estragos da chuva - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Clima01/11/2018 | 12h56Atualizada em 01/11/2018 | 13h00

São Marcos e Flores da Cunha decretam situação de emergência após estragos da chuva

Prejuízos foram registrados em moradias e na agricultura 

São Marcos e Flores da Cunha decretam situação de emergência após estragos da chuva Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Após os estragos provocados pelo temporal da madrugada de quarta-feira, que atingiu a região da Serra, os municípios de Flores da Cunha e São Marcos decretaram situação de emergência. Os comunicados foram enviados na manhã desta quinta-feira.

Em São Marcos, a decisão foi tomada a partir de um parecer técnico emitido pela Defesa Civil. Conforme levantamento da prefeitura,  10 famílias que tiveram que deixar suas residências e mais de 100 edificações foram danificadas. Ninguém se feriu. Ao todo, foram distribuídos cerca 600 metros de lona.

Os locais mais atingidos foram os loteamentos Colina Sorriso e Vida Nova, e os bairros Jardim do Plátanos, Polo e Henrique Pante.  Já no interior do município, os prejuízos foram registrados nas comunidades de Tuiuti, Marechal Deodoro, Zambicari, Tiradentes, Rosita, Santo Henrique, Santana, Edith e Riachuello.

Leia mais
Granizo causa estragos na agricultura em mais de 10 municípios da Serra
Chuva de granizo danifica moradias em Bom Jesus
Granizo causa danos nas zonas rural e urbana de São Marcos
Temporal causa destelhamento de centenas de casas em Flores da Cunha
Temporal com vento forte destelha casas e derruba árvores em Caxias e região
Árvores e postes obstruem ruas de Caxias após temporal
Família lutou para escapar de chuva de granizo e queda de telhas em Flores da Cunha 

Já em Flores da Cunha, os prejuízos se concentram principalmente na agricultura. O prejuízo é avaliado em R$ 70 milhões. Estima-se, segundo a administração pública, que 80% da safra da uva foi perdida após o vendaval e granizo.

Há também perda na produção de cebola, alho, pêssegos, maça, uva entre outras culturas, além de estragos em aviários, prédios públicos, imóveis residenciais, rede elétrica, rede de água e esgoto, estrutura viária e telecomunicações. Ao todo, 32 comunidades foram afetadas. Conforme a Defesa Civil, mais de 100 moradias sofreram algum tipo de dano.

Alguns bairros e comunidades do interior ainda permanecem sem energia elétrica e telecomunicação nesta quinta-feira. 


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros