Memória: Armazém Baldasso e os 90 anos de seu Angelo - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 

Caxias antiga09/11/2018 | 10h12Atualizada em 09/11/2018 | 10h12

Memória: Armazém Baldasso e os 90 anos de seu Angelo

Fundado em 1964, comércio da Rua Visconde de Pelotas, 1.078 fidelizou gerações de consumidores

Memória: Armazém Baldasso e os 90 anos de seu Angelo Acervo de família / divulgação/divulgação
Em frente ao armazém em 1965: os irmãos Celso e Heloísa com dona Aparecida Bedin e o filho Benvenuto Bedin Foto: Acervo de família / divulgação / divulgação

Desde 1964, o trecho da Rua Visconde de Pelotas entre a Dall Canalle e a Os Dezoito do Forte tem um ponto de referência. E não apenas para os consumidores mais antigos. Basta mencionar Armazém Baldasso ou o nome de seu Angelo Baldasso que a memória afetiva e gastronômica é imediatamente acionada.  

Não é para menos. As frutas, legumes e verduras expostas próximas à calçada, mescladas a produtos coloniais, pães, guloseimas e toda sorte de iguarias entregam: estamos diante de um daqueles clássicos armazéns onde o "de tudo um pouco" e a "compra a caderno" seduzem gerações de fregueses. E essa relação ganha comemoração extra neste final de semana, quando seu Angelo completa 90 anos (leia mais abaixo).   

O pequeno mercado surgiu em 1963, já se destacando pelo mix de produtos e especialidades típicas, como a manteiga de colônia, o vitelo, o torresmo a quilo vendido em pacotinhos e a puína (ricota fresca) — muitos deles oriundos de Carlos Barbosa e da chácara da família, em Caravaggio da Terceira Légua. 

Leia mais:
Silla Mariani Santini e a Mercearia Caxiense em 1952
Mercadinho do Povo na Av. Júlio em 1947
Casa Prataviera: um ícone do Centro   
De volta aos antigos armazéns
Um retorno aos velhos secos & molhados
Casa Prataviera: um ícone do Centro   

Rua Visconde de Pelotas, 1.078: os irmãos Agostinho, Celso e Heloísa junto à caminhonete Chevrolet da família em 1965 Foto: Acervo de família / divulgação

Atendimento pelo nome

Somado à qualidade dos produtos, o atendimento personalizado, na maioria das vezes pelo nome dos clientes, logo fez a fama do lugar — tanto que até hoje os Baldasso abastecem restaurantes, cafés e galeterias, além de fornecer produtos para almoços e jantares especiais.  

A fidelidade espalha-se pelo Centro e redondezas, incluindo aí famílias como os Magnabosco, Conte, Mandelli, Corsetti, Gollo e Curtolo,  moradores do Edifício Parque do Sol e alunos do Colégio São José, ambos a poucos metros dali.

— Pais que vinham aqui agora trazem seus filhos e netos, é um costume que foi passando — avalia Elisete Baldasso, filha caçula de seu Angelo e uma das responsáveis pelo atendimento, junto ao irmão Celso.

O "clima" familiar do armazém, que teve como linha de frente até 2010 a filha Heloísa, é um dos prováveis motivos de sua longevidade. Atualmente, Elisete também responde pelas compras e reposição. Já o irmão Agostinho cuida do abastecimento de frutas e verduras. Dona Anna, a mãe, cuida da "telefonia" e de tarefas mais leves. Em meio a tudo isso, seu Angelo não abandona a "lida". Limpa as verduras, separa os feijões — em uma engenhoca inventada por ele mesmo — e ensaca a famosa batatinha pirulito.

— Hoje já fiz 60 pacotes de dois quilos — diz, demonstrando o processo ao colunista, como vemos na sequência abaixo.

Impossível não virar freguês...

Seu Angelo demonstra o processo de ensacar as batatas, uma de suas atividades diáriasFoto: Rodrigo Lopes / Especial
Seu Angelo demonstra o processo de ensacar as batatas, uma de suas atividades diáriasFoto: Rodrigo Lopes / Especial
Seu Angelo demonstra o processo de ensacar as batatas, uma de suas atividades diáriasFoto: Rodrigo Lopes / Especial
Seu Angelo demonstra o processo de ensacar as batatas, uma de suas atividades diáriasFoto: Rodrigo Lopes / Especial
Seu Angelo demonstra o processo de ensacar as batatas, uma de suas atividades diáriasFoto: Rodrigo Lopes / Especial

Leia mais:
Armazém de Antonio Boz nos anos 1940
Venda a granel: ontem, hoje e sempre
Inauguração do novo Pastifício Caxiense em 1963
Pastifício Caxiense: os diplomas da preferência popular em 1954
Lembranças recheadas de sabor no antigo Pastifício Caxiense
Padaria e fábrica de massas de Vitorio Pasetti
Recortes da trajetória do comércio caxiense
Os preferidos dos caxienses em 1954
Inauguração do Super Calcagnotto em 1975

A família

Nascido em 10 de novembro de 1928, na Linha São Paulo, interior de Carlos Barbosa, Angelo Baldasso é o caçula dos 16 filhos do casal Leonilda Mafassioli e Pedro Baldasso, um dos fundadores da Cooperativa Santa Clara, surgida em 1911 sob a denominação “Latteria Santa Chiara”. 

Em 15 de fevereiro de 1952, aos 23 anos, o jovem casou-se com Anna Thereza Regla, nascendo dessa união os filhos Agostinho, Heloísa, Celso e Elisete _ que posteriormente lhes deram seis netos: Anderson, Daniel, Gelisa, Fábio, Tanise e Daiane.

Nas fotos desta página, alguns registros do álbum de família de seu Angelo, com destaque para a lendária caminhonete Chevrolet da família em frente ao armazém e a celebração dos 25 anos de casamento de seu Angelo e dona Anna, em 1977.     

Leia mais:
Encontro da família Baldasso em Carlos Barbosa em 2016
Encontro da família Chies em Carlos Barbosa
Carlos Barbosa: encontro da família Gedoz
Encontro da família Danieli em Carlos Barbosa
Os 125 anos da família Tonus no Brasil  

Seu Angelo por volta de 1945, na localidade de Capela São Silvestre, interior de Carlos BarbosaFoto: Acervo de família / divulgação
O jubileu de prata de Angelo e Anna em 1977: os filhos Celso (E), Elisete (à frente), Heloísa (com Gelson Rech) e Agostinho (com Rosangela Chies, à direita))Foto: Acervo de família / divulgação
As bodas de ouro do casal Angelo e Anna, em 2002, com os filhos e netosFoto: Acervo de família / divulgação
Seu Angelo Baldasso em 2006, quando participou de uma matéria no Pioneiro sobre antigos armazéns de Caxias do SulFoto: Daniela Xu / Banco de dados, Agência RBS
Seu Angelo às vésperas de celebrar 90 anos, neste sábado, dia 10 de novembroFoto: Rodrigo Lopes / Especial
Seu Angelo e a esposa, dona Anna Thereza Regla Baldasso, juntos desde 1952Foto: Rodrigo Lopes / Especial
Livro escrito por Aldo Migot resgatou a hsitória da família Baldasso, a partir do pai de seu Angelo, o imigrante Pedro BaldassoFoto: Acervo de família / reprodução

Dose tripla

A celebração deste final de semana será tripla: além dos 90 anos de seu Angelo, a família comemora também o aniversário da filha Heloísa, nascida no mesmo dia do pai, em 1956, e a chegada da primeira bisneta, Laura, prevista para vir ao mundo em 22 de dezembro. 

Leia mais:
Eberle e uma Sinimbu de mão dupla em 1971
Largo da Catedral Diocesana nos anos 1960
Memórias na vertical: as curiosidades dos antigos prédios de Caxias do Sul  
Varejo do Eberle: um clássico do Centro
Encontro de ex-funcionários do Varejo do Eberle
Edifício Dona Ercília e uma esquina recheada de histórias
Praça Dante Alighieri coberta de neve em 1941
Rua Dr. Montaury em 1959  
Restaurante Quitandinha na Av. Júlio nos anos 1950
Bomboniére Maratá em 1943 

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória   

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros